Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado.

O menino de oito anos que foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave após sofrer agressões, prestou depoimento à polícia nesta sexta-feira (13), em Londrina, no norte do Paraná.

Os pais adotivos foram presos suspeitos de tentativa de homicídio e tortura. A delegada Lívia Pini, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), disse que a criança estava sonolenta e não falava muito devido à forte dose de medicamentos.

"Tivemos uma confirmação, através dos questionamentos, de que os machucados teriam ocorrido na casa.

[O menino] também menciona o papai e a mamãe.

Ele já tinha falado para os profissionais do hospital que tem um sentimento de repulsa com a ideia de voltar para casa", disse Lívia. Delegada do Nucria ouve menino espancado pelos pais Seis policiais são presos durante operação da PM e do MP Policiais foram presos em uma operação da Polícia Militar (PM) e do Ministério Público do Paraná (MP-PR) contra o tráfico de drogas, em Curitiba.

A ação foi deflagrada nesta sexta-feira (13). De acordo com o coronel Hudson Leôncio Teixeira, comandante do 1º Comando Regional da PM (1º CRPM), seis policiais militares foram presos.

Dois ex-PMs também foram detidos, em Santa Catarina.

Outras 17 pessoas foram presas, segundo a PM.

Ao todo, conforme a polícia, eram 30 mandados de prisão.

Contudo, os demais alvos já se encontravam detidos. Operação da PM contra o tráfico de drogas, em Curitiba, ocorre nesta sexta-feira (13) Victor Bittencourt/RPC Homem é preso suspeito de matar e esconder corpo da ex-companheira Um homem de 35 anos foi preso suspeito de feminicídio e ocultação de cadáver da ex-companheira, segundo a Polícia Civil.

A prisão ocorreu na rodoviária de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na noite de quinta-feira (12), quando o suspeito tentava sair do estado, conforme a polícia.

Ele estava disfarçado, com óculos, boné e sem barba.

As investigações apontam que o motivo do feminicídio pode estar relacionado ao ex-companheiro não aceitar o término do relacionamento.

O casal ficou junto por sete anos. Polícia Civil investigava o caso desde o desaparecimento da vítima, em Cascavel Polícia Civil/Divulgação MPF denuncia dono do Grupo Petrópolis e outras 22 pessoas O Ministério Público Federal (MPF) denunciou Walter Faria, proprietário do Grupo Petrópolis, por lavagem de mais de R$ 1,1 bilhão em favor da Odebrecht entre 2006 e 2014, no âmbito da Operação Lava Jato.

A denúncia foi divulgada pelo MPF nesta sexta-feira (13). Além de Walter Faria, outras 22 pessoas ligadas ao Grupo Petrópolis, Antígua Overseas Bank e ao departamento de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht também foram denunciadas.

A denúncia faz parte da 62ª fase da Operação Lava Jato, que investiga o envolvimento de membros do Grupo Petrópolis em um esquema de lavagem de dinheiro desviado de contratos públicos. Curtas e rápidas Polícia Federal faz operação contra pagamentos de propina e fraudes em licitações da Sanepar Carro com R$ 10 mil em multas e outros débitos é apreendido em Umuarama Presidente da Câmara de Ponta Grossa diz que casa votará projeto que zera tarifa do transporte coletivo em 2020 PF apreende maços de dinheiro em operação contra fraudes em licitações da Sanepar; VÍDEO Depois de 5 furtos em 1 mês, loja de artigos para bebê vai fechar as portas em Curitiba IPTU de Londrina será reajustado em 2,67% em 2020, anuncia prefeitura Barroso suspende lei de Londrina que proibiu ideologia de gênero nas salas de aula Câmara de Guarapuava aprova orçamento de R$ 438 milhões para 2020 CMEI da Vila Colibri é inaugurado um ano após conclusão das obras, em Guarapuava 18 cabras e cabritos são furtados de chácara, em Londrina Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.