Internauta diz que local não é limpo há pelo menos três anos.

Prefeitura afirma que realizou a limpeza em parte do córrego no ano passado e que deve receber novas máquinas para este tipo de serviço.

Internauta de Suzano mostra córrego na Avenida Atlantica com mato alto. Alessandra Oliviera/VC no G1 A contadora Alessandra Oliveira, de 30 anos, não vê o córrego da Avenida Atlânica, no Jardim Revista, em Suzano, ser limpo há, pelo menos, três anos.

Segundo ela, a situação aos moradores de lá vem se complicando desde então, já que com o calor e as fortes chuvas de verão, a região está cheia de mosquistos e ela teme até pela dengue.

Por conta disso, Alessandra usou a ferramenta colativa VC no G1 para cobrar uma posição da prefeitura.

Ainda segundo a internauta, ela morou no bairro e se mudou de lá algum tempo, mas permanece indo visitar as pessoas que lá ficaram.

"As casas precisam ficar fechadas o dia inteiro, porque além de mosquito tem rato também.

Fizeram uma pista de skate lá, não dá para as crianças brincarem por causa dos bichos", conta.

Alessandra pontuou ainda que cada morador tenta limpar as margens do córrego em frente à sua casa para minimizar a situação.

"No trecho logo no início da avenida, ele não alaga, mas na altura com a Rua Bandeiras ele começa a alagar e nem assim a Prefeitura não se preocupa em limpar", destacou.

De acordo com a Secretaria de Manutenção e Serviços Urbanos de Suzano, os serviços de manutenção foram realizados naquela região em 2018.

No entanto, segundo a pasta, há áreas onde as máquinas não têm acesso, por causa de ocupações irregulares. "A pasta está recebendo novos maquinários neste mês de janeiro, o que dará mais agilidade às equipes de manutenção - o bairro já está no cronograma de ações da Secretaria.

A Prefeitura solicita aos cidadãos que evitem o descarte irregular de lixo e entulho, que pode causar o entupimento de tubulações, o que atrapalha a vazão da água e pode acarretar em alagamentos", trouxe a nota enviada ao G1. Queixas podem ser feitas pelo telefone da Secretaria de Meio Ambiente, no 4745-2055 ou na Fiscalização de Posturas, no 4745-2046 .

O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, ou no plantão da GCM: 153 ou 4745-2150.