O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pretende prolongar ainda mais a sua permanência no poder do país, através de uma proposta de referendo para mudar a Constituição, anunciou nesta quarta-feira (15).

Visto por muitos como um ditador, Putin subiu ao poder após renúncia de Boris Iéltsin, o primeiro presidente da Rússia após o colapso econômico da União Soviética.

Segundo analistas, o pacote apresentado pelo presidente russo permitiria que ele seguisse no poder.

Numa hipótese, como “superpremiê” ou mantendo a presidência de uma versão empoderada do Conselho.

Pouco depois do anúncio, o primeiro-ministro Dmitri Medvedev decidiu renunciar ao cargo, juntamente com o restante do gabinete.

Putin escolheu Mikhail Michustin, um desconhecido do grande público para o lugar de Medvedev.

O ex-espião KGB, serviço secreto da Rússia, está no poder desde 1999 e ainda tem mais quatro anos de mandato pela frente, podendo prolongar sua permanência no comando do país.

“Nós precisamos de um referendo sobre todo o pacote de emendas à Constituição.

Nós temos que confiar à Duma (Casa baixa do Parlamento) não só a aprovação, mas a escolha das candidaturas do primeiro-ministro [para vice-premiês e ministros]”, disse.