Moradores dizem que problema foi em manilha.

Prefeitura alega que não é responsável pela área.

Atalho usado por moradores é levado pela erosão em Três Corações, MG Quem precisa sair de bairros mais distantes para ir até o Centro de Três Corações (MG) está sem um atalho importante.

O local, ao lado de uma ferrovia, teve a passagem interrompida por uma erosão. O trecho tem pouca estrutura.

Além de ficar muito próximo à linha férra, está cercado de mato e é bem estreito.

No entanto, virou alternativa de passagem para moradores de cinco bairros ao longo dos anos. A travessia levava 15 minutos à pé.

A área não tem nenhum tipo de sinalização.

"Não dá pra se arriscar.

Eu mesma, não passo aqui.

Primeira vez que começou, bombeiros colocou uma faixa, mas depois tiraram", explicou a dona de casa Neusa Maria da Costa. Parte da estrada desabou bem próximo ao rio.

Uma grande cratera se abriu no local.

Em alguns pontos, o apoio da linha do trem, chamado "dormente", se desprendeu do trilho. Trecho usado por moradores em Três Corações (MG) sofreu erosão Reprodução/EPTV Agora, para ter acesso ao Centro, é preciso dar a volta no rio, o que aumenta o trajeto em meia hora. A outra opção é ir pela parte alta do bairro mais próximo.

Segundo os moradores, a erosão é um problema antigo.

O local passou por uma obra de esgoto há alguns anos.

Desde então, a situação piorou. "A água passava debaixo da linha normalmente.

Eles vieram, fizeram a manilha e aterrou.

Como eles colocaram a manilha, tinha que desaterrar para a água continuar.

E a manilha que colocaram ali não é suficiente para a água que desce", contou o servente de pedreiro José Francisco de Oliveira. Mesmo com o risco, ainda tem moradores que se arriscam.

"Agora a gente tem que dar a volta.

Difícil, estou de idade.

Se não arrumar, como vamos fazer?", contou a dona de casa Maria Aparecida Corrêa, de 75 anos. Resposta A Prefeitura de Três Corações, em nota, esclareceu que não é responsável pelo rompimento do talude da linha férrea e, sim da empresa VLI Logística, que presta consultoria para a Ferrovia Centro Atlântica, e da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). As empresas citadas foram notificadas e acionadas.

A Defesa Civil esteve no local ao lado do Corpo de Bombeiros.

Eles realizaram vistoria e interdição. A emprea VLI informou que o trecho não é operacional e que uma equipe será enviada para avaliar os danos e as medidas a serem adotadas.

A Copasa foi procurada pela produção da EPTV, afiliada da Rede Globo, mas não respondeu. Caminho é usado por moradores de cinco bairros em Três Corações (MG) Reprodução/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas