Relatos do coronavírus foram identificados em ao menos outros oito países, além da China: Estados Unidos, Japão, Tailândia, Taiwan, Coreia do Sul, Vietnã, Singapura e Arábia Saudita.

Especialistas explicam as características do novo coronavírus Os aeroportos da Infraero começaram a veicular nesta sexta-feira (24) um aviso sonoro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre o coronavírus, que já causou 26 mortes na China.

O que se sabe e o que ainda é dúvida sobre o novo vírus "Se você tiver febre, tosse ou dificuldade para respirar, dentro de um período de até 14 dias, após viagem para a cidade de Wuhan, na China, você deve procurar uma unidade de saúde mais próxima e informar a respeito da sua viagem", informa a Anvisa. O alerta indica ainda que os passageiros lavem as mãos frequentemente com água e sabão.

E caso não tenham, usem álcool em gel.

"Cubra o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar.

Descarte o lenço no lixo e lave as mãos.

Evite aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados.

Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos ou garrafas.

Procure o serviço de saúde mais próximo", completa o alerta.

Na lista de aeroportos com o alerta estão o de São Paulo (Guarulhos e Congonhas) Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão), Curitiba, Brasília, Campina Grande, Recife, Porto Alegre, Fortaleza, Vitória, Londrina, Belo Horizonte, Manaus, Belém, Florianópolis, Campo Grande, e Foz do Iguaçu.

A relação completa está aqui.

Relatos do coronavírus foram identificados em ao menos outros oito países: Estados Unidos, Japão, Tailândia, Taiwan, Coreia do Sul, Vietnã, Singapura e Arábia Saudita. No Brasil, o Ministério da Saúde descartou cinco casos suspeitos.

Segundo a pasta, os casos "não se enquadram na definição de caso suspeito da Organização Mundial da Saúde (OMS)". Ciclo do novo coronavírus - transmissão e sintomas Aparecido Gonçalves/Arte G1 Initial plugin text