Governantes do Irã enfrentam desafios para manter a economia sob as sanções cada vez mais severas impostas por Washington.

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, em foto no dia 14 de janeiro Iranian Presidency Office via AP O presidente do Irã Hassan Rouhani disse, nesta segunda-feira (27), que os iranianos não devem permitir que a "pressão máxima" de Donald Trump prejudique a unidade nacional antes das eleições parlamentares.

As informações são da Reuters.

Os governantes do Irã enfrentam desafios para manter a economia sob as sanções cada vez mais severas impostas por Washington.

"Não devemos permitir que Trump consiga criar brechas entre o establishment e o povo ...

Devemos permanecer unidos ...

Não dê as costas para as eleições.

Vamos dar um bom resultado", disse Rouhani. O Conselho de Guardiões do Irã, que examina todos os candidatos às eleições, desqualificou cerca de 9.000 dos 14.000 que se inscreveram para concorrer nas eleições.

Os moderados dizem que na maioria das cidades não têm candidatos para participar da corrida. Desde a revolução islâmica do Irã, em 1979, seus governantes deixaram de lado os desafios ao poder.

Mas a diferença entre eles e o povo aumentou desde o ano passado, quando centenas foram mortos em protestos contra o governo. Teerã também corre o risco de uma crise de legitimidade em meio à crescente fúria pública e críticas internacionais pela admissão tardia de culpa pela Guarda Revolucionária de elite do Irã por abater um avião de passageiros ucraniano por engano.

Os iranianos foram às ruas para protestar contra a demora na admissão dos guardas. A desconfiança entre os governantes e os governados, combinada com dificuldades econômicas, é um mau presságio para a votação parlamentar em fevereiro.

"Estou pedindo à nossa nação que vote", disse Rouhani.

"Mesmo que você tenha críticas sobre questões e problemas, por favor vote."