Ricardo Neis, de 56 anos, foi encontrado na Lagoa da Conceição, em Santa Catarina.

Ele é acusado de atropelar pessoas na Cidade Baixa.

G1 entrou em contato com o advogado que o defendeu durante o processo criminal, e aguarda retorno.

Motorista condenado por atropelar ciclistas em Porto Alegre foi preso em SC Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Capturas, prendeu nesta quarta-feira (13) o motorista condenado no Rio Grande do Sul por atropelar ciclistas em 2011, em Porto Alegre.

Ricardo Neis, de 56 anos, foi encontrado na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, Santa Catarina.

Ele estava foragido desde outubro de 2019. G1 entrou em contato com o advogado que defendeu Neis durante o processo criminal, e aguarda retorno. Neis foi condenado pelo Tribunal do Júri, em 2016, a uma pena de 12 anos e 9 meses de reclusão por 11 tentativas de homicídio e cinco lesões corporais. O crime ocorreu em fevereiro de 2011, quando o acusado, servidor público federal, dirigia no bairro Cidade Baixa, na Capital.

Após supostamente ter ficado descontente com a passagem bloqueada por ciclistas que realizavam uma manifestação, acelerou o carro e atropelou diversas pessoas. Nove ciclistas foram levadas ao Hospital de Pronto Socorro Ricardo Duarte/Agência RBS O acusado chegou a ter sua prisão preventiva decretada, e foi preso na época dos fatos.

Mas, depois de um mês, recebeu a liberdade provisória. A decisão foi confirmada pela Terceira Câmara Criminal, em 2018, que representa a segunda instância judicial.

O Ministério Público havia solicitado ao Tribunal de Justiça que ele fosse preso após o segundo julgamento.

Porém, a 3ª Câmara Criminal negou o pedido. No ano passado, a Procuradoria de Recursos protocolou novo pedido após a notícia de que o condenado foi flagrado, em agosto de 2019, dirigindo na BR-101.

Sua licença para dirigir está suspensa desde 2011, quando foi recebida a denúncia apresentada pela Promotoria do Júri. Em outubro de 2019, foi expedido então um mandado de prisão, após o presidente do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha, determinar a execução provisória de pena.

Conforme a polícia, depois disso, Neis fugiu e nunca mais foi visto.

Autoridades começaram uma investigação para localizá-lo. A prisão foi feita pela equipe da Delegacia de Capturas (Decap), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), sob a coordenação do delegado Arthur Raldi. O preso está sendo conduzido ao Deic no Rio Grande do Sul, para a realização das formalidades legais, e depois será encaminhado ao sistema penitenciário.  Ricardo Neis foi condenado em 2016