Em rede social, médico disse ter recusado convite feito por Eduardo Pazuello, interino da pasta.

O G1 consultou o Ministério da Saúde sobre a recusa do ex-ministro Teich e aguarda um posicionamento.

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich afirmou, neste sábado (23), ter recusado convite para ser conselheiro da pasta.

Segundo ele, "não seria coerente" aceitar o cargo.

"Agradeço ao Ministro Interino Eduardo Pazuello pelo convite para ser Conselheiro do Ministério da Saúde, mas não seria coerente ter deixado o cargo de Ministro da Saúde na semana passada e aceitar a posição de Conselheiro na semana seguinte", escreveu Teich em uma rede social.

"Uma condução técnica do Sistema de Saúde significa uma gestão onde estratégia, planejamento, metas e ações são baseadas em informações amplas e precisas, acompanhadas continuadamente através de indicadores.

Desejo ao Ministro Interino Eduardo Pazuello todo o sucesso na condução do Ministério da Saúde e estou à disposição para que a transição aconteça da melhor forma possível", completou. Teich deixou o cargo no dia 15 de maio, antes de completar um mês à frente da pasta.

Antes de deixar o cargo, Teich teve desentendimentos com o presidente Jair Bolsonaro sobre: o uso da cloroquina no tratamento da Covid-19.

Bolsonaro quer alterar o protocolo do SUS e permitir a aplicação do remédio desde o início do tratamento; o decreto de Bolsonaro que ampliou as atividades essenciais no período da pandemia e incluiu salões de beleza, barbearia e academias de ginástica; e detalhes do plano com diretrizes para a saída do isolamento.

O presidente defende uma flexibilização mais imediata e mais ampla. O G1 consultou o Ministério da Saúde sobre a recusa do ex-ministro Teich e aguarda um posicionamento. Esta reportagem está atualização. 'A vida é feita de escolhas, e hoje decidi sair.

Dei o melhor de mim', diz Teich após anunciar saída do Ministério da Saúde