Encontro conta com a exibição coletiva com quase 30 comedouros distribuídos pelo país.

Curiosidades sobre as aves e rodas de conversa compõem passarinhada online.

Janelives reúne comedouros de 13 estados brasileiros Vanilce Souza/ Arquivo Pessoal Já pensou observar aves da região Sul, Sudeste, Centro-oeste, Nordeste e do Norte do Brasil ao mesmo tempo sem sair de casa? Se você gosta de natureza e em especial das aves, esta é uma oportunidade única de contemplar as mais variadas espécies da avifauna brasileira e aprender um pouco mais sobre cada uma delas. Neste sábado (30/05) vai ser realizado o "Janelives", uma transmissão ao vivo e gratuita com quase 30 comedouros distribuídos pelo nosso país.

Essa experiência de exibir a vida selvagem que existem nos diferentes quintais e pousadas surgiu na edição online da maior feira de observação de aves, a Avistar, que foi realizada na segunda semana de maio na internet.

Aves visitam comedouros em Presidente Figueiredo (AM) Vanilce Souza/Arquivo Pessoal A live coletiva e simultânea com os comedouros fez tanto sucesso que recebe agora a segunda etapa e traz ainda novidades. "Desta vez o evento vai ser integrado com o #vempassarinhar.

Teremos nessa edição um facilitador, que será um ornitólogo que vai apresentar as espécies presentes nos comedouros e falar sobre a história natural", explica Guto Carvalho, organizador da Avistar. O #vempassarinhar é um evento gratuito que reúne admiradores da natureza uma vez por mês para observar aves e aprender mais sobre elas e que, devido à pandemia, também será adaptado. Melancia atraiu sanhaços para o quintal na região Amazônica Vanilce Souza/ Arquivo Pessoal Observar as aves mesmo que pela tela de um celular, tablet ou computador é uma forma de valorizar a riqueza e as belezas da vida, principalmente diante de um período tão conturbado. "Essa é uma oportunidade única para tantas pessoas que estão enclausuradas.

O interessante é que, apesar de ser remota e mediada por tecnologia, a experiência da passarinhada é legítima e intensa", acrescenta. Para quem gosta de desbravar o Brasil, o "Janelives" é também um convite para conhecer mais sobre os domínios naturais que existem no nosso país.

"Teremos a cobertura de todos os biomas brasileiros e isso é extremamente importante para a conservação", afirma Guto Carvalho. Tiê-sangue é visitante diário de comedouro no Peruíbe (SP) Fábio Barata/ Arquivo Pessoal Há oito anos o biólogo Fábio Barata mantém um comedouro para as aves em um hostel em Peruíbe (SP).

Diariamente ele recebe a visita de mais de 25 espécies.

Os destaques desse ano são os tucanos-de-bico-preto, as gralhas-azuis, saracuras-do-mato que nasceram no quintal, pica-pau-de-cabeça-amarela e ainda saíra-sapucaia e o tiê-sangue, ave símbolo da Mata Atlântica.

O atrativo para o passaredo se tornou um ganha pão e até ferramenta de educação ambiental para os moradores locais.

"Eu sempre compartilho em meus grupos fotos e vídeos das aves no comedouro daqui.

Também estamos acostumados a fazer lives e é gratificante ver como esse gesto simples incentiva as pessoas a cuidarem mais da natureza.

Hoje eu já conheço mais de 30 pessoas aqui no Guaraú que tem comedouro em casa", comenta Barata. O comedouro no quintal no litoral paulista participou da primeira edição do "Janelives" e recebeu ainda um visitante ilustre. Saí-de-pernas-pretas surpreende em comedouro no Peruíbe durante 1º transmissão Elen Dias/ Arquivo Pessoal "Durante o primeiro Janelives apareceu no nosso comedouro um saí-de-pernas-pretas.

A gente quase surtou e estava ao vivo, foi muito bacana.

É incrível ver como um evento assim movimenta pessoas do mundo todo, recebi mensagens de um cliente da Suíça, esse retorno é sensacional", finaliza. De Presidente Figueiredo, a 200 km de Manaus, o comedouro da guia Vanilce Souza é o representante da região Norte do país.

Acostumada a caminhar pelas matas com passarinheiros, a guia iniciou atividades com o comedouro neste ano. "A ideia de ter um comedouro surgiu há muito tempo, mas nunca tivemos tempo e lugar para fazer.

Com a pandemia viemos para a Vila Balbina e há dois meses resolvemos montar uma estrutura para colocar frutas e sementes ao mesmo tempo pra ver o resultado que teríamos", comenta. Ter comedouro é uma forma simples de atrair as aves para o quintal Vanilce Souza/Arquivo Pessoal E os visitantes logo começaram a aparecer, destaque para o canário-do-amazonas, cardeal-da-amazônia, iraúna-grande, pipira-vermelha, xexéu e sanhaçu-da-amazônia.

A guia participou da primeira edição do "Janelives" e acredita que esta seja uma oportunidade de atrair novos aliados para a conservação da natureza. "É interessante poder envolver mais pessoas na observação de aves.

Ter comedouro é simples, mas envolve dedicação, cuidado e paixão.

Podemos mostrar pras pessoas que de alguma forma nós podemos contribuir um pouquinho com o futuro da preservação.

Quanto mais gostamos, mais cuidados", finaliza. Observador de aves de São Paulo vai compartilhar ao vivo os visitantes alados Ney Matsmura/ Arquivo Pessoal SOBRE O EVENTO O "Janelives" será transmitido ao vivo das 7h às 10h neste sábado pelo Facebook e Youtube do canal oficial do Avistar.

Para acessar os links basta conferir o linktree do Instagram do organizador do evento.

A atividade online será mediada pelos ornitólogos Luciano Lima e Tatiana Pongiluppi.

O encerramento contará ainda com o Papo de Passarinho, uma roda de conversas a respeito dos comedouros e observações feitas das janelas.

A segunda edição do "Janelives" é promovida em parceria com o Laboratório do Museu Biológico, do Instituto Butantan.