Foram quase de 37 mil cestas básicas entregues a famílias de estudantes de 19 municípios acreanos.

Alimentos são destinados a alunos em situação de vulnerabilidade.

Alimentos são destinados a alunos do Acre em situação de vulnerabilidade Divulgação/SEE Quase 37 mil famílias de alunos matriculados na rede pública do estado receberam a merenda escolar em cestas básicas desde que as aulas foram suspensas no Acre como medida de prevenção e combate ao avanço do novo coronavírus. Ao todo, foram entregues 36.968 cestas básicas para as famílias dos estudantes de 174 escolas em 19 municípios acreanos, totalizando 554.520 quilos de alimentos.

Foram 22 dias de operação que envolveu a Secretaria de Educação, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Estadual, Exército Brasileiro e gabinete da 1ª dama.

As aulas das redes públicas e privadas do Acre estão suspensas desde o último dia 17 de março por conta da pandemia.

Devido ao aumento dos casos de Covid-19, o governo do estado prorrogou o decreto de isolamento social e a suspensão das atividades não essenciais até 15 de junho, incluindo as aulas. Em um decreto publicado no dia 30 de março no Diário Oficial do Estado (DOE), o governador Gladson Cameli determinou que a merenda escolar continuasse sendo fornecida por meio de cestas básicas aos alunos que estão em situação de vulnerabilidade. São considerados alunos em situação de vulnerabilidade social aqueles que atenderem aos requisitos previstos para inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). A Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE) informou que, na primeira etapa, foram entregues as cestas básicas para alunos do ensino fundamental que são beneficiários do Bolsa Família. Já na segunda etapa, estão sendo montados kits com os alimentos disponíveis nos depósitos das escolas para serem entregues ao maior número possível de famílias.

Segundo a Educação, já foram entregues 1,4 mil kits aos estudantes.

Além de beneficiar as famílias carentes, a ação, de acordo com a secretaria, vai evitar que os produtos estraguem nos depósitos das escolas e no armazém da SEE.

Paralelo a entrega das cestas básicas, no último dia 9 de abril, a Polícia Civil fez uma operação que investiga desvio de recursos na merenda escolar.

Mandados de prisão, busca e apreensão foram cumpridos. Governador fala sobre prorrogação de isolamento social até o dia 15 de junho Previsão para retomada das aulas Em entrevista ao Jornal do Acre 1ª Edição deste sábado (29) sobre prorrogação de isolamento social até o dia 15 de junho, o governador Gladson Cameli falou sobre a previsão de retorno das aulas na rede pública e privada do estado. Segundo ele, a ideia é que não seja perdido o ano letivo e que as aulas ocorram de setembro até janeiro do ano que vem. “Ontem conversei com o secretário de Educação para tentar salvar o ano letivo ainda.

Eu tendo segurança, as aulas desse ano vão retornar até setembro para que a gente possa salvar o ano letivo, se estendendo até janeiro.

Mas, isso se nós tivermos uma total segurança, que não venha colocar as nossas crianças em risco”, disse o governador.

Coronavírus no Acre Até este domingo (31), 6.219 casos da doença foram confirmados no estado do Acre, segundo último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre).

Ainda de acordo com os dados, 148 pessoas morreram em decorrência da doença.

Além dos casos confirmados, mais 90 aguardam análise dos exames.

A taxa de contaminação no estado é de 705,2 para cada 100 mil habitantes.

Das 22 cidades apenas o município de Jordão não tem casos da doença. Até este domingo, o Acre já fez 13.566 exames, sendo que 7.257 foram descartados, 6.219 confirmados e mais 90 seguem em análise.

Consta ainda no boletim que 2.611 pessoas são consideradas curadas da doença.