Jovem de Macatuba (SP), de 23 anos, teve complicações no parto e não resistiu; os filhos prematuros Guilherme e Gustavo se recuperam no hospital.

Marido de jovem grávida de gêmeos que morreu com Covid-19 diz que bebês o dão forças LHC Photo Studio/Divulgação “Quando uma mãe morre no parto, ela vira anjo e está nos protegendo”.

Essa frase é de Diego Rodrigues, de 24 anos, que perdeu a esposa de 23 anos, paciente de Covid-19, após o parto de emergência de gêmeos. Diego, morador de Macatuba, no interior de São Paulo, desabafa que sua vida transformou de uma hora para outra e os filhos recém-nascidos o dão forças para continuar. “Eu estou muito abatido, não tiro ela da cabeça, mas sei que Deus tem um plano pra nossa vida.

Deus permitiu que ela deixasse dois anjinhos para eu cuidar, para me dar forças.

Chorei tanto quando vi eles pela primeira vez, foi a coisa mais linda”, lembra Diego. Acompanhe ao VIVO as últimas notícias sobre o coronavírus na região. Gestante de gêmeos, de 23 anos, morreu após complicações no parto de emergência Facebook/Reprodução Larissa Blanco estava de 35 semanas de gestação dos gêmeos Guilherme e Gustavo quando deu à luz em um hospital particular de Botucatu (SP).

Os meninos testaram negativo para coronavírus e permanecem internados em recuperação, pois nasceram prematuros. “Me deu um alívio de ver eles bem.

Os dois meninos vão precisar muito de mim e eles sempre vão ouvir histórias e saber da mamãe que tiveram.

Todo mundo a amava”, conta Diego. Segundo a prefeitura, Larissa testou positivo para coronavírus no dia 12 de junho.

Diego contou que ela apresentou sintomas de gripe dias antes, mas só precisou ser internada na última sexta-feira (26).

No sábado à noite, ela foi transferida para Botucatu e entrou em trabalho de parto.

“Eu fui na sala de cirurgia e eles já estavam tirando o primeiro bebê.

Ela olhou para aquela carinha maravilhosa e eu fiquei todo emocionado, era o sonho dela”, lembra o marido. Diego e Larissa se conheceram no ano passado em Macatuba Arquivo pessoal Diego contou ao G1 que o segundo bebê nasceu em seguida, depois de uma pequena complicação.

Ele achava que tudo estava bem e se despediu da esposa para acompanhar as crianças.

Mais tarde, Diego recebeu a notícia de que Larissa tinha tido uma hemorragia e precisou fazer transfusão de sangue.

“Ela teve uma hemorragia e não estava conseguindo conter.

Depois ela teve uma parada cardíaca e precisou fazer transfusão de sangue.

Por volta das 6h, me avisaram que ela não aguentou e tinha falecido.

O médico disse que por causa da Covid, o corpo dela não conseguia cicatrizar”, explicou o pai dos gêmeos. Diego também tinha testado positivo para coronavírus, mas não está mais transmitindo o vírus.

Por isso, pôde acompanhar o desenvolvimento dos filhos no hospital até eles estarem prontos para receberem alta. Recordações Larissa deu à luz meninos gêmeos em hospital de Botucatu Arquivo pessoal Diego e Larissa se conheceram no ano passado em um aniversário surpresa que amigos em comum planejaram para a jovem.

Três dias depois, eles começaram a namorar. “Foi Deus que colocou ela na minha vida, meu pai e minha mãe chamavam ela de filha.

Depois, passou um tempinho e descobrimos que ela estava grávida.

Ficamos super felizes”, conta Diego.

A gravidez tornou-se ainda mais especial com a notícia de que o casal iria ter gêmeos.

Segundo Diego, desde aquele momento, eles começaram a se planejar.

“Quando ela me ligou e explicou que eram dois ‘coraçõezinhos’ começou aquela alegria.

A gente fez de tudo por ela, ela nunca ficou triste.

Ela tinha um olhar e um sorriso que contagiava todo mundo.

Ela me mudou.

Com ela, eu construí uma família, me tornei homem”, admite Diego.

Jovem de Macatuba, grávida de gêmeos, morreu após complicações da Covid-19 Arquivo pessoal Para deixar gravado esse momento da vida e a alegria do casal, Larissa e Diego fizeram um ensaio fotográfico dias antes do parto.

As fotos da gravidez são, agora, maneiras de relembrar os momentos bons.

“Ela sempre foi uma pessoa maravilhosa, sempre vai estar nos nossos corações.

Não quero pensar em coisa ruim, vou pensar nos momentos bons.

Eu fico vendo as fotos e vídeos dela sorrindo, é nisso que eu vou me apegar”, declara o jovem. * Colaborou sob supervisão de Mariana Bonora.

Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília