Se o ganhador investir todo o dinheiro na poupança, por exemplo, ele terá um rendimento de R$ 2,4 milhões em 12 meses; foram 4 apostas ganhadoras que levaram R$ 76.053.459,66 cada uma.

Quatro apostas acertam as dezenas da Mega da Virada Os ganhadores da Mega da Virada poderão passar o resto da vida sem trabalhar, dependendo de seus gastos mensais e de como eles investirem o dinheiro.

O prêmio de R$ 304,2 milhões será dividido entre quatro apostas.

Três delas são de apostadores que fizeram uma aposta simples e receberão R$ 76.053.459 cada um.

Já a quarta aposta será dividida por 26 pessoas que participaram de um bolão, e cada um deve levar R$ 2.925.133,04. As dezenas sorteadas na terça-feira (31) foram: 03 - 35 - 38 - 40 - 57 - 58. R$ 3,75 milhões em um ano Levando em conta a projeção da rentabilidade de investimentos como poupança e CDB, o ganhador da Mega da Virada conseguiria até R$ 3,75 milhões em um ano de rendimento em cima do prêmio de mais de R$ 76 milhões. Se o ganhador investir o dinheiro todo na poupança, por exemplo, ele terá um rendimento de R$ 2,4 milhões em 12 meses, levando em conta a rentabilidade nominal (sem descontar a inflação) projetada para 2020 de 3,15%.

Ao mês, daria R$ 198 mil, considerando o rendimento de 0,26%, sem a perda da inflação. Ser fosse investido no CDB, com rendimento projetado de 4,93%, o dinheiro renderia R$ 3,75 milhões em 12 meses.

No caso dos apostadores do bolão, que levarão R$ 2,92 milhões cada, o rendimento da poupança seria de R$ 92 mil em 12 meses e de R$ 7,6 mil ao mês.

Já o CDB traria R$ 144,2 mil de rendimento em um ano. Veja os rendimentos de outras aplicações projetadas para 2020 e como a inflação e a taxa Selic podem influenciar na rentabilidade De acordo com Silvio Paixão, professor de macroeconomia da Faculdade Fipecafi, o ganhador dos mais de R$ 76 milhões poderá gastar mensalmente R$ 158,5 mil se viver por 40 anos sem aplicar o dinheiro nem trabalhar.

O professor de macroeconomia e Finanças fez ainda a projeção de rendimentos para outros investimentos levando em conta os próximos 40 anos, considerando o imposto de renda pago, mas não a perda de poder aquisitivo decorrente da inflação: Poupança: R$ 199.640,33 mensais Tesouro Direto Selic (já descontados 15% de IR): R$ 223.407,04 mensais CDB com 100% Selic (menos 15% de IR): R$ 242.420,40 mensais Investimento em imóveis para renda com aluguel (descontados os 27,5% de IR): R$ 248.124,41 mensais Não investir o dinheiro, só gastar: 158.444,71 por 40 anos "Na hipótese de não aplicar o dinheiro, ele se acaba no final dos 40 anos, enquanto que nos investimentos o valor nominal do prêmio é mantido inalterado, já que, por todo o período, gasta-se apenas os rendimentos auferidos", explica o professor. Investimentos devem ser diversificados O coordenador do MBA de Gestão Financeira da Fundação Getulio Vargas (FGV), Ricardo Teixeira, alerta para o risco de administrar mal o dinheiro e acabar tendo dificuldade financeira.

“A maioria das pessoas acredita que, ao receber o prêmio, jamais terá problemas financeiros.

Mas a história mostra que vários ganhadores de prêmios milionários enfrentaram dificuldades financeiras depois de algum tempo.

Ou por serem arrojados nos investimentos, não considerando corretamente o risco envolvido, ou por terem sido mal assessorados, ou por terem sido perdulários”, comenta.

O professor da FGV aconselha quitar todas as pendências financeiras de curto, médio e longo prazos.

“Uma vida nova vai começar.

Mesmo tendo muito dinheiro, é possível e é recomendável negociar.

E o saldo disponível para essa nova vida, já abatidos os pagamentos efetuados, deve ser usado nos passos seguintes”, recomenda.

Se pensar em dar presentes, o professor da FGV orienta calcular o quanto se pretende gastar com cada um e no total.

E é preciso ainda antever possíveis pedidos de empréstimos.

“Totalizar os gastos é sempre muito importante para perceber o impacto dos gastos no prêmio recebido.

Faça também uma lista de quem você acredita que vai pedir empréstimos e quanto pode disponibilizar como ajuda para cada um e no total.

Tenha em mente que esse será um dinheiro que dificilmente retornará”.

Em relação aos investimentos, Teixeira alerta que, independente do perfil do investidor - conservador, moderado ou arrojado -, é importante diversificar as formas de aplicar o dinheiro.

Ele recomenda definir um percentual que será colocado em aplicações conservadoras, que vão de imóveis a aplicações em títulos públicos como Tesouro Direto, LCI, LCA e fundos de renda fixa.

"Não menos que 20% do prêmio total deve ser aplicado de forma conservadora, no caso daqueles que têm perfil arrojado”, observa.

De acordo com Sandra Blanco, consultora de investimentos da Órama, devido ao cenário de juros baixos no país, a recomendação é diversificar entre renda fixa, variável, fundos imobiliários e multimercados.

"A análise começa pela avaliação do perfil, situação financeira e lista de sonhos do ganhador.

Em um cenário de juros baixos, o ganhador poderá obter retorno real negativo, isto é, não conseguir rentabilizar o dinheiro acima da inflação, se mantiver a maior parte dos recursos em renda fixa", explica.

O máximo sugerido para renda fixa é um percentual de 40%, entre fundos e títulos públicos e de crédito privado - sendo a maior parte pós-fixado.

"Essa porção irá contemplar a necessidade de dinheiro rápido e o colchão de amortecimento para as oscilações características de mercado", recomenda.

Em renda variável, o mínimo recomendado é 10% em ações e fundos de ações, podendo variar até 30%, de acordo com o perfil do investidor.

Outro setor favorecido pelo ambiente de juros baixos são os fundos imobiliários.

O restante da quantia pode ser alocado tanto neles como em fundos multimercado ou que investem no exterior.

Conheça abaixo, no podcast O Assunto, as curiosidades e probabilidades de ganhar na Mega da Virada: Initial plugin text