De segunda-feira (27) para esta terça (28), o nível subiu 17 centímetros.

Chuvas de janeiro provocaram elevação de 2,67 metros.

Fotos com o comparativo entre janeiro de 2020 e dezembro de 2019 Daniel Versiani / Arquivo Pessoal A Barragem de Juramento, uma das fontes de abastecimento de Montes Claros (MG), está com 34,63% da capacidade de armazenamento, segundo a Copasa.

De segunda-feira (27) para esta terça (28), o nível subiu 17 centímetros.

O reservatório não está em uso atualmente.

Em todo o mês de janeiro, o acumulado de chuvas chega a 314,4 milímetros, provocando a elevação de 2,67 metros.

O nível mais alto registrado em 2019 foi de 33,75%. De 1º de outubro de 2018 a 28 de janeiro de 2019, a Barragem de Juramento apresentava 30,25% e volume de 603 mm de chuva acumulada.

No mesmo período de 2019/2020, apresenta o nível de 34,63%, com 718 mm de chuva acumulada.

A barragem tem capacidade para 45 milhões de m³ e é a maior do Norte de MG com a finalidade de abastecimento humano.

Historicamente, de acordo com a Copasa, era responsável por fornecer de 60% a 70% da água distribuída em Montes Claros.

Mas, com a crise hídrica, foi preciso buscar por outras fontes.

A Copasa destacou que poços profundos foram colocados em operação.

Foram implantadas ainda as captações no Rio Verde Grande, em Montes Claros, e no sistema do Rio Pacuí, em Coração de Jesus.

"Estas novas fontes permitiram alterar o percentual de contribuição da Barragem para o abastecimento da cidade.

Para ampliar a capacidade produtora de água do sistema que abastece Montes Claros, a Copasa iniciou esforços para a implantação da captação do Rio São Francisco até 2021, visando eliminar a necessidade de continuidade de racionamento na cidade", afirmou a Copasa.

Por conta do longo período de estiagem, Montes Claros está em rodízio desde 17 de novembro do ano passado.

O sistema da Copasa funciona de forma integrada e dinâmica, permitindo que os volumes captados sejam redirecionados para qualquer setor da cidade.

"A Copasa reforça o pedido de colaboração da população e lembra que o consumo consciente de água é um comportamento fundamental em qualquer ocasião.

Atitudes simples, como lavar o carro com balde de água no lugar da mangueira, deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes, tomar banhos rápidos, molhar plantas com regador e não lavar o passeio com água tratada fazem muita diferença", destacou a Companhia em nota.

Antes do racionamento, o percentual das fontes produtoras era o seguinte: Fontes de água Atulamente, com o sistema de rodízio e as chuvas os percentuais passaram a ser: Fontes de água Veja mais notícias da região em G1 Grande Minas.