A fundação quer que a fabricante esclareça se o acordo também valerá para o Brasil.

Câmbio Powershift, da Ford, é alvo de reclamações Divulgação O Procon-SP notificou a Ford na última quarta-feira (29) por um acordo firmado nos Estados Unidos pela marca envolvendo problemas no câmbio Powershift.

A intenção da fundação é entender se o acordo também inclui o Brasil. Procurada pelo G1 para comentar o caso, a Ford ainda não retornou contato. De acordo com o jornal Detroit Free Press, a Ford ofereceu um acordo aos cerca de 2 milhões de proprietários de Focus e Fiesta prejudicados por problemas na transmissão automatizada.

A publicação diz que a fabricante deve desembolsar, no total, mais de US$ 100 milhões.

Os principais pontos do acordo proposto são: Pagamento em dinheiro de US$ 30 milhões totais aos proprietários que tiverem registros de problemas na transmissão nos 5 primeiros anos do veículo ou até 96 mil km; Recompra dos veículos que apresentaram uma série de problemas no câmbio. Entre os problemas apresentados pelos modelos com câmbio Powershift estão aceleração súbita ou atrasada, trepidações, trocas de marcha "patinando" e/ou lentas, trancos e confusões entre as marchas.

Notificação do Procon-SP De acordo com a fundação, a Ford deverá esclarecer se o acordo também envolverá os proprietários de unidades afetadas no Brasil.

A marca também deverá dizer se os problemas são os mesmos relatados no Brasil em 2016 e os procedimentos para a realização do acordo.

O prazo dado foi de 72 horas a partir do dia 30/1.

Ou seja, os esclarecimentos deverão ser dados até esta segunda-feira (3). "Caso o acordo venha a ser aplicado em território nacional, a montadora deverá informar ainda, quais veículos estariam sujeitos a esta condição; como se dará a convocação e quais procedimentos deverão ser observados pelos proprietários de veículos que possam ainda apresentar problemas com o câmbio", apontou o Procon-SP em comunicado.