Apuração será enviada ao Ministério Público e à Polícia Federal.

Empresa que administrou rodovia até o ano passado nega que tenha havido irregularidades.

Freeway é a principal ligação entre Porto Alegre e Região Metropolitana e praias gaúchas e catarinenses Divulgação/CCR Uma investigação do Tribunal de Contas da União apontou que houve superfaturamento para construir a quarta faixa da freeway, como é mais conhecido o trecho da BR-290 entre Porto Alegre e Osório.

A apuração se refere ao período em que a rodovia era administrada pela Triunfo Concepa, que nega irregularidades.

Leia a nota completa abaixo.

Atualmente, a responsável pela rodovia é a CCR.

Inicialmente, o valor estimado da fraude era de R$ 91 milhões.

Na semana passada, no entanto, a conclusão final foi de que o valor pago a mais pela União graças ao esquema foi de R$ 115 milhões.

Segundo o TCU, a quarta faixa da rodovia foi feita diferente do projeto e, além disso, houve superfaturamento para instalar telas para impedir a passagem de pedestres e fazer o transporte do material descartado na obra.

A investigação também apontou que a Concepa pagou menos ISSQN do que declarou.

Mesmo que a freeway não seja mais administrada pela empresa, a União terá que encontrar formas de recuperar esse dinheiro.

O processo do TCU vai ser enviado também ao Ministério Público e à Polícia Federal para apurar a conduta dos envolvidos.

TCU aponta irregularidades da Concepa em licitação para administrar a freeway no RS Nota da Concepa O Tribunal de Contas da União realizará uma fiscalização, através do processo de tomada de contas especial, pelo qual a companhia acredita que ficará esclarecida a inexistência de superfaturamento.

A companhia ressalta seu compromisso com as melhores práticas de governança corporativa e segue à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários.