Tenho estudado o tema essencialismo.

Basicamente, para esta teoria “de vida”, é preciso simplificar a vida e fazer o melhor no que você, de fato, pode fazer/ser/parecer melhor.

Parece mais uma de minhas loucuras falar isso em um ambiente onde falamos de fé.

O tema soa meio egocêntrico, talvez.

Mas, queria te propor uma outra visão sobre o essencialismo ou, melhor colocando, sobre o Essencial.

Sim, é com E maiúsculo porque estou falando de comunicação cristã.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEO essencial para nós, da comunicação ou não, é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Vale adicionar aqui que o essencial também é anunciar o amor de Deus e fazer discípulos.

“Beabá do crente”.

O essencial.

Mas por que esquecemos ou deixamos de lado o essencial para nos atermos ao extraordinário? O Essencial não é o extraordinário? Por que amplificamos o periféricos em detrimento do Essencial?Sendo bem direto, por que não estamos fazendo nosso trabalho que é buscar discípulos de Jesus em troca de criarmos ruídos de comunicação para o Evangelho?Neste domingo ouvi, de um pastor, que a igreja é essencial pois é lá que exercitamos nossas crenças e nossa fé, que é na igreja que podemos voltar a cruz de Jesus.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEA igreja, apesar de todas as correntes contrárias, é essencial para que tenhamos um ponto de encontro onde nossos relacionamentos aconteçam e se aprofundam diante do cuidado de Jesus.

É ali que nos lapidamos como discípulos.

Fiquei feliz quando pude conectar o que falo sobre comunicação, como ferramenta de missão, com esta mensagem e com o essencialismo.

Nada mais importa do que a mensagem principal do Evangelho que é apontar para a cruz de Jesus e direcionar as pessoas para que, em comunidade, vivam o amor daquele que se doou em sacrifício.

Não são os shows, os eventos, as programações, as ferramentas ou os métodos.

Nada disso importa e tudo isso se torna ruído para cumprirmos o objetivo nos dado em Mateus 28: fazer discípulos.

Então, para fechar esse texto, vou te dar quatro pontos de reflexão para que, olhando para o Essencial, você crie conteúdos relevantes, empáticos e engajadores para sua comunidade.

Jesus é o ponto de partida e o destino de tudo que você fizer;Conheça seu público, entenda suas demandas, contexto e linguagem;Qual a sua principal mensagem/conteúdo;Descubra quais são as principais barreiras que tem dificultado sua audiência a entender/interagir/engajar com seu conteúdo.

Que Deus nos abençoe!