Treinador está há 1 ano no país asiático, mas está em cidade a 1,2 mil quilômetros do epicentro do surto do coronavírus.

Um treinador de futebol de Lavras (MG), que mora há um ano na China, tem passado por dias preocupantes no país asiático.

Ele vive em Nanning, cidade que fica a 1,2 mil quilômetros de Wuhan, cidade do epicentro do surto do novo coronavírus, mas pensa em voltar ao Brasil por segurança da família.

"Temos vivido dias mais tensos, preocupados, já que o caso vem se alastrando.

Aqui mesmo na cidade, em um prédio próximo à escola da minha filha, uma pessoa foi constatada com a doença e infectou boa parte do prédio.

É um momento tenso, ainda que estejamos mais tranquilos", disse o treinador Orestes Júnior Alves pela internet à produção da EPTV Sul de Minas, afiliada Rede Globo. O treinador conta que tem seguido todas as normas e regulamentos que o governo chinês estabeleceu ao país.

"Embora estejamos em uma cidade mais distante, estamos evitando sair de casa e estar em lugares que tem grande aglomerado de pessoas.

Temos vivido dias mais tensos, preocupados, já que o caso vem se alastrando", disse o treinador.

Treinador de futebol de Lavras resume situação na China: 'Temos vivido dias tensos' Reprodução EPTV A esposa do treinador é chinesa e ele foi para o país para treinar uma equipe amadora de futebol de base. "Aqui não se vê mais muitas pessoas nas ruas.

Elas estão ficando em casa.

Os comércios estão praticamente todos fechados, são poucos os abertos, até porque não está havendo o reabastecimento no comércio", contou.

Agora ele espera por um posicionamento das autoridades de saúde para retornar ao Brasil. "Não há dúvida que minha maior preocupação seja minha família.

Estamos aguardando o momento oportuno para ver o desenrolar dessa situação.

A princípio voltaria para o Brasil, já que agora, por esses dias, foram liberados alguns voos.

Esperamos algumas regulamentações para poder retornar ao país até termos a solução desse vírus para não colocar em risco a minha família", disse o treinador. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas