Voos farão escala em Varsóvia, capital polonesa; presidente diz que devem sobrar 'em torno de dez vagas'.

Aeronaves estão a caminho de Wuhan e devem pousar no Brasil no fim de semana.

Aeronave VC-2, da FAB, em imagem de arquivo Enilton Kirchhof/Agência Força Aérea O presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante transmissão em rede social nesta quinta-feira (6), que autorizou o embarque de cidadãos da Polônia e da América do Sul nos dois aviões enviados para buscar brasileiros em Wuhan, na China – epicentro da epidemia de coronavírus. Segundo o presidente, a estimativa é de que sobrem "cerca de dez vagas".

O plano de voo prevê escala em Varsóvia, capital da Polônia, na ida e na volta.

As aeronaves pousaram em Varsóvia nesta quinta, e devem voltar ao Brasil no fim de semana. "Talvez como está, se tiver apenas em torno de 40 brasileiros pra trazer pra cá, eu já autorizei, como sobraria em torno de 10 vagas, trazer nacionais de outros países.

Se for da América do Sul, pousa aqui", disse Bolsonaro. "Parece que entrou um pedido da Polônia agora, e obviamente, como vai pousar em Varsóvia, eles foram gentis para conosco, eu já falei que se tiver, e tem polonês lá.

Se quiserem retornar, vêm e desembarcam ali em Varsóvia, e tudo bem." Segundo o brigadeiro do ar Marcelo Kanitz Damasceno, da Força Aérea Brasileira (FAB), até esta quinta o governo tinha confirmado 34 passageiros nos voos.

São 29 brasileiros e cinco chineses que foram listados como pais, filhos ou cônjuges de brasileiros. Além dos passageiros repatriados, em cada voo há 11 tripulantes e 7 médicos do Ministério da Saúde e da Força Aérea.

De acordo com informações do governo, cada avião enviado pode carregar até 30 passageiros, além da tripulação. Inicialmente, o Ministério da Defesa informou que, caso houvesse mais vagas que passageiros, as pessoas seriam distribuídas de modo mais "espaçado" nas poltronas – na tentativa de dificultar um contágio dentro do avião. O VC-2 é uma aeronave de transporte presidencial, que pode transportar o peso máximo de 51.800 kg e velocidade máxima de 985 km por hora.

As duas aeronaves da FAB fazem escala em Fortaleza, Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia) e Urumqi (China). Repatriação de brasileiros que estão na China Aparecido Gonçalves e Juliane Monteiro/G1 Situação no Brasil O Brasil tem 9 casos suspeitos de coronavírus em investigação, de acordo com o Ministério da Saúde.

A informação foi divulgada nesta quinta, por volta das 10h, durante uma reunião do ministro Luiz Henrique Mandetta com os secretários de saúde dos estados e capitais do país. O levantamento anterior, das 12h desta quarta (5), apontava 11 casos suspeitos.

Três deles foram descartados e outro, de Minas Gerais, foi acrescentado ao acompanhamento.

Ao todo, 24 suspeitas já foram descartadas. Assim, os casos suspeitos estão em Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Sul (3), Santa Catarina (1) e São Paulo (3). Confira a situação até as 14h30 desta quinta (6): 564 mortes por coronavírus na China 1 morte nas Filipinas 28.060 casos confirmados na China Mais de 1,1 mil infectados já se recuperaram, na China Mais de 200 casos confirmados em outros 24 países Dois aviões presidenciais partiram nesta nesta quarta em busca dos brasileiros na China Coronavírus: o que se sabe sobre o novo vírus que surgiu na China Coronavírus: infectologista explica o que é o vírus, sintomas e prevenção Initial plugin text