Evento acontece de 12 a 22 de novembro.

Até agora, 14 fabricantes cancelaram participação.

Mesmo com as baixas de 14 fabricantes, o Salão do Automóvel teve sua edição de 2020 confirmada pela Reed Exhibitions, organizadora do evento.

O evento acontecerá entre 12 e 22 de novembro, no São Paulo Expo.

Nesta sexta-feira (7), a empresa divulgou algumas ações que irá tomar para contornar a ausência de várias marcas de peso como Chevrolet, BMW e Toyota.

Além da interatividade, já presente nas últimas edições, o Salão do Automóvel deverá se tornar um evento voltado para a geração de oportunidades de compra de veículos, chamado pela Reed de lead.

QR Code e aplicativo Visitantes poderão escanear atrações do Salão do Automóvel usando um QR Code Fabio Tito/G1 Entre as iniciativas, estão a adoção de um QR Code no ingresso de cada visitante.

A partir daí, sempre que ficar interessado em algum veículo ou serviço, ele terá o código lido pelo expositor (fabricante, financeira, seguradora), que poderá entrar em contato para propor algum negócio.

As fabricantes também poderão entender melhor as preferências dos consumidores.

“Muitas vezes, as marcas não conseguem mensurar.

Queremos que eles façam um salão focado em análise de dados”, afirmou Leandro Lara, diretor de do portfólio de mobilidade da Reed. Para os visitantes, ainda haverá a possibilidade de usar um aplicativo próprio do evento.

Com ele, será possível ler QR Codes de veículos e atrações, além de concorrer a promoções e ganhar prêmios.

Se quiser compartilhar a foto ao lado do carrão, também pode.

“O visitante vai conseguir postar em tempo real, dentro do aplicativo.

Também vai ser integrado com as redes sociais, que sabemos que tem um grande impacto no evento”, completou Lara.

Com isso, a Reed espera que sejam gerados 500 mil manifestações do tipo.

A organização também acredita que o número de visitantes será mantido, na comparação com a edição anterior – 740 mil pessoas, ao longo de 11 dias de exposição.

Mais test-drives Área de test-drive do Salão do Automóvel de 2018 André Paixão/G1 Atração já conhecida e apreciada pelo público, a área de test-drives será ampliada em 2020.

A organizadora está acertando os últimos detalhes para implantar uma nova pista off-road, no terreno do São Paulo Expo.

Ela será maior e natural.

Já a área para testes de veículos elétricos e híbridos ganhará ainda mais destaque, e será realocada para um espaço mais central.

Por fim, a Reed promete demonstrações de veículos autônomos.

No último salão, em 2018, foram 45 mil test-drives ao longo do evento.

Salões tentam se reinventar A movimentação de fabricantes deixando salões do automóvel não é inédita do Brasil.

Há alguns anos, as mostras de Detroit, Paris e Frankfurt têm sofrido com a debandada de fabricantes.

A alegação principal é que esse tipo de evento custa muito para o retorno que oferece.

Os custos para estar no Salão do Automóvel variam de R$ 4 milhões a mais de R$ 20 milhões.

Uma forma de tentar baratear os custos é não ter um estande, mas participar de outras ações do salão.

O G1 apurou que marcas que não terão estande no pavilhão principal poderão estar do lado de fora, nas pistas de test-drive.

A solução já é adotada em salões no exterior.

Em Frankfurt, por exemplo, a Renault mostrou o novo Captur em uma tenda na área externa.

Renault teve uma tenda na área externa do último Salão de Frankfurt André Paixão/G1 Por enquanto, 9 marcas confirmaram presença no Salão do Automóvel.

São elas: Volkswagen Fiat Ford Renault Nissan Jeep Ram Dodge Troller Outras 12 ainda não confirmaram presença: Honda Mercedes-Benz Porsche Kia Audi Ferrari Lamborghini Maserati Rolls-Royce Caoa Hyundai Caoa Chery Subaru Por fim, 14 não estarão no evento: Chevrolet Toyota Peugeot Citroën BMW Volvo Jaguar Land Rover Mini Lexus Jac Motors Hyundai Mitsubishi Suzuki