Temperaturas altas e chuvas comuns do período podem provocar a aparição de cobras, escorpiões e aranhas nas casas.

Conheça as orientações do Controle de Zoonoses.

Em caso de picadas, orientação é lavar ferimento com água e sabão e procurar atendimento médico na UPA Prefeitura de Ipatinga/Divulgação A Prefeitura de Ipatinga (MG) em parceria com o Ministério Público realizam, neste mês de fevereiro, ações de controle e prevenção contra animais peçonhentos após aparição atípica de cobras nos bairros Castelo, bairro das Águas, Cariru e Centro. De acordo com o município, o MP solicitou que o Controle de Zoonoses realizasse um estudo de identificação das serpentes que apareceram em algumas residências, sendo constatado que as cobras são das espécies Salamanta e Boipeva, que são comuns na região e não são venenosas. A bióloga Mardeídes Benfica, que atua no Controle de Zoonoses, explica que a aparição das cobras pode ter sido provocada pelas chuvas intensas registradas na região nas últimas semanas.

Segundo a especialista, as cobras precisam se manter em movimento para garantir a manutenção da temperatura do corpo.

Por esse motivo, esses animais podem ter se deslocado para as residências da cidade. Dados Apesar dos relatos de cobras em algumas casas, a Prefeitura informou que não registrou solicitação de moradores referentes a esses animais.

Até o início de fevereiro, o município notificou sete casos de picadas de escorpião. Em 2019, foram 416 casos de pessoas picadas por animais peçonhentos, sendo 356 foram vítimas de escorpiões e 60 foram atacados por serpentes.

Cuidados O Controle de Zoonoses alerta que as temperaturas altas e as chuvas intensas do primeiro trimestre podem provocar a aparição de cobras, escorpiões e aranhas.

Na busca por locais secos e seguros, esses animais podem invadir as casas para se protegerem. O órgão orienta que, em caso de picadas, a primeira providência é limpar o ferimento com água corrente e sabão e, em seguida, procurar atendimento médico de emergência o mais rápido possível.

Em Ipatinga, em caso de acidente deve-se encaminhar a vítima diretamente para a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA). Outras orientações são manter a vítima em repouso e não sugar o local da picada, não colocar qualquer substância no ferimento, nem fazer ataduras ou torniquetes.

Se possível, a recomendação é para que se leve o animal para identificação da espécie ou seja registrada uma fotografia, desde que não represente risco de novos acidentes.

Se necessário, deve-se acionar o Corpo de Bombeiros Militar pelo telefone 193.

Veja mais notícias da região em G1 Vales de Minas Gerais.