Veículo foi interceptado na MG-135, em Montes Claros, e um homem de 37 anos foi preso; ele confessou que venderia os pássaros no Rio de Janeiro por R$ 50 cada.

Polícia apreendeu 100 aves da fauna silvestre Polícia Militar/Divulgação A polícia apreendeu 100 pássaros da fauna silvestre que eram transportados em um ônibus de Montes Claros, no Norte de Minas, para o Rio de Janeiro.

O veículo foi interceptado na MG-135, nesse domingo (9), depois de uma denúncia e um homem, de 37 anos, foi preso.

“Vinte e dois pássaros estavam acondicionados em uma caixa dentro de uma bolsa na parte de cima do ônibus e o restante foi encontrado em carregadores no bagageiro do veículo.

O homem confessou que venderia os pássaros por R$ 50 cada no Rio de Janeiro”, disse o cabo José Edson Alves Pereira, da Polícia Militar de Meio Ambiente.

Setenta e oito animais estavam em carregadores no bagageiro do ônibus Polícia Militar/ Divulgação Os pássaros da espécie trinca-ferro foram capturados no Parque Municipal Sapucaia, em Montes Claros.

“O suspeito contou que agiu sozinho e demorou uma semana para capturar todos os animais”, explica o cabo. Ele foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil por transporte ilegal de pássaros da fauna silvestre e foi lavrado um auto de infração no valor de R$ 113 mil.

As aves foram entregues no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas).

Espécie Trinca-ferro Trinca-ferro foi fotografado por Manoel Freitas no Parque Estadual da Lapa Grande, que fica perto do Sapucaia Manoel Freitas/ Divulgação O trinca-ferro, também conhecido como pixarro, mede até 20 centímetros de comprimento.

Ele tem o bico forte, daí o nome trinca-ferro, e vive à beira de matas e se alimenta de sementes, frutos e brotos.

O ambientalista e fotógrafo Manoel Freitas, que faz um trabalho de observação de aves há 9 anos no Norte de Minas, explica que é comum a presença do trinca-ferro na região.

Segundo ele, a espécie é muito visada por causa do canto. “A principal característica do trinca-ferro é o canto que é lindíssimo, por isso eles são tão visados por traficantes de aves.

Durante as observações, eles ficam até uma hora cantando.

É muito bonito!”.

Pintassilgo e azulão também são espécies ameaçadas Manoel Freitas/Arquivo pessoal Ainda segundo o ambientalista, as espécies azulão, pintassilgo e soldadinho também estão ameaçadas.

"O pintassilgo ficou dois anos sem nenhum registro no Norte de Minas justamente pela ação de traficantes".

Manoel Freitas já fotografou 5.487 pássaros de 377 espécies diferentes na região.

As imagens estão catalogadas no WikiAves, plataforma em que observadores de aves de todo o Brasil divulgam fotos e áudios das diferentes espécies do país.

Veja mais notícias da região no G1 Grande Minas.