Estragos foram registrados em cidades como Bandeira do Sul, Campestre, Itajubá, Poço Fundo e Poços de Caldas.

Trechos de rodovia em Bandeira do sul (MG) tiveram deslizamentos João Daniel Alves/EPTV A forte chuva que cai em cidades do Sul de Minas entre a noite de segunda-feira (10) e a manhã de terça-feira (11) alagou ruas e casas, provocou deslizamento e deixou famílias desabrigadas.

Ocorrências foram registradas em cidades como Bandeira do Sul, Campestre, Itajubá, Poço Fundo e Poços de Caldas. Em Campestre, pelo menos três famílias foram retiradas dos imóveis pela Defesa Civil nos bairros Trevo e Vila do Beijo.

Em uma das casas, uma mulher grávida de nove meses teve que sair do imóvel. A chuva começou por volta da 1h30.

Segundo a Defesa Civil, a água alagou ruas e atingiu 50 centímetros.

A represa conhecida como Zé Passos transbordou e levou parte da estrada de terra que dá acesso aos bairros rurais da Divisinha e Estiva. A represa é monitorada e a estrada foi interditada nos dois sentidos.

Também teve deslizamento de terra no bairro Capituvas.

Ninguém ficou ferido. Deslizamento de terra atingiu bairro de Campestre (MG) Reprodução/Redes Sociais Bandeira do Sul Em Bandeira do Sul, ruas do Bairro Santa Terezinha e um campo de futebol ficaram embaixo d’água.

Parte da rua Manoel Rodrigues, no Centro, cedeu por conta da chuva, deixando o local interditado.

Uma casa foi invadida pela água. Chuva alagou ruas de Bandeira do Sul (MG) João Daniel Alves/EPTV Segundo a Polícia Militar, também teve registros de três casas atingidas pela enchente no bairro Chernovi.

Mas os moradores não precisaram deixar os imóveis. Na BR-267, teve deslizamento de terra e parte da vegetação desceu para a rodovia entre os quilômetros 479 e 499.

Equipes da prefeitura foram para o local.

Ninguém ficou ferido. Crateras de abriram em ruas de Bandeira do Sul (MG) Daniel Souza Itajubá Em Itajubá, ruas ficaram alagadas nos bairros Medicina e Água Limpa, na zona rural.

No bairro Novo Horizonte, teve deslizamento de terra que atingiu imóveis de forma parcial.

Um trator foi até o local para fazer a remoção da terra. Um árvore que ficava próxima ao Hospital Escola caiu.

Equipes da prefeitura foram até os locais afetados.

O nível do Rio Sapucaí, que passa pelos bairros Santa Rosa, Porto Velho, Centro e Boa Vista, está alto e segue em monitoramento. Nenhuma família precisou sair de casa e não houve registro de feridos. Deslizamento de terra atingiu imóveis em Itajubá (MG) Reprodução/Redes Sociais Poço Fundo Em Poço Fundo, houve alagamento em vários pontos da cidade.

O bairro mais atingido foi o São Benedito.

Quatro casas precisaram ser desocupadas de forma provisória.

Ainda não se sabe se as famílias poderão voltar para os imóveis. Chuva alagou ruas de Poço Fundo (MG) Reprodução/Redes Sociais A preocupação é com os níveis dos rios que estão acima do normal.

Na zona rural, os bairros Jacutinga, Cachoeirinha e Bocaina foram bastante afetados.

Não há informações sobre desalojados e desabrigados.

O distrito de Paiolinho também foi atingido por um deslizamento de terra na estrada que liga à cidade.

Até a publicação desta reportagem, o trecho não tinha interdição.

Mas há risco de novos deslizamentos. Chuva alagou ruas de Poço Fundo (MG) Reprodução/Redes Sociais Poços de Caldas Em Poços de Caldas, houve alagamento em ruas no bairro Jardim Kennedy, na Zona Sul da cidade.

O Parque Municipal Antônio Molinari também alagou. O rio próximo ao parque, que corta a Avenida João Pinheiro, também teve elevação no nível.

Segundo a Defesa Civil, os locais estão em monitoramento e não há registros de ocorrências graves. Parque Municipla ficou alagado em Poços de Caldas (MG) João Daniel Alves/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas