O ex-ministro do Trabalho e ex-deputado federal, Ronaldo Nogueira, foi exonerado nesta quarta-feira (12) da função de presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

A exoneração foi publicada no “Diário Oficial da União” (DOU) e assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, atendendo a um pedido do próprio Nogueira, segundo publicação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEO ex-deputado ligado a Assembleia de Deus pode estar envolvido no desvio de recursos do Ministério do Trabalho, por meio da contratação de uma empresa voltada para a solução de tecnologia e licenças para gerir sistemas informatizados da pasta e detectar fraudes na concessão do Seguro-Desemprego.

De acordo com a PF, as irregularidades ocorreram de 2016 a 2018.

Nogueira foi alvo de busca e apreensão sob suspeita de estar envolvido no esquema que desviou R$ 50 milhões do extinto Ministério do Trabalho.

Em nota, Nogueira afirmou:“Em relação à notícia divulgada no dia de hoje, envolvendo meu nome, informo não ter receio algum da apuração dos fatos.

Meu advogado está tomando ciência do processo com toda a serenidade que o momento exige.

Tenho o maior interesse no esclarecimento dos fatos e, desde já, coloco-me à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários às autoridades responsáveis”.

Segundo o G1, Nogueira era ligado ao PTB e é um dos alvos da Operação Gaveteiro, deflagrada pela Polícia Federal na semana passada.

A operação da PF investiga uma organização criminosa.