Carro pertencia a um terceiro suspeito de participar do latrocínio que vitimou a empresária Virginia Tavares Ferraz Ramos, no dia 3 de fevereiro.

Carro foi localizado em São Sebastião, SP, e foi levado para o Guarujá Reprodução/ISTV O carro utilizado no latrocínio de Virginia Tavares Ferraz Ramos, esposa do ex-candidato a Governador do Estado de São Paulo, Claudio Fernando Aguiar, o Prof.

Claudio Fernando (PMN), foi apreendido.

O veículo foi localizado em São Sebastião, no litoral de São Paulo, e foi encaminhado para Guarujá, cidade onde ocorreu o crime.

O terceiro envolvido e dono do carro foi localizado também em São Sebastião.

A mulher foi assassinada no dia 3 de fevereiro, quando chegava ao trabalho e foi abordada por criminosos armados, que anunciaram o assalto.

Um dos bandidos atirou e dois disparos acertaram Virginia, um na cabeça e outro no pescoço.

Ela chegou a ser socorrida e passou por uma cirurgia de emergência, no entanto, não resistiu aos ferimentos.

Virginia foi baleada quando chegava ao trabalho em Guarujá, SP Arquivo Pessoal O pai dela, Walter Antonio Ramos, presenciou o momento em que a filha foi atingida pelos tiros e chegou a lutar com o bandido que atirou nela, conseguindo detê-lo.

Ele foi preso pela Polícia Militar e conduzido a Delegacia Sede da cidade.

Segundo a Polícia Civil, o rapaz confessou o crime e foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente. Um dia depois do latrocínio, o segundo suspeito de participar do crime foi localizado por equipes da Força Tática da Polícia Militar, na Praia da Enseada.

Ele também foi levado para delegacia, onde foi interrogado, passou por reconhecimento facial e confessou participação no assalto que vitimou a comerciante. Na segunda-feira (10), o terceiro envolvido foi encontrado e capturado em São Sebastião, sendo levado posteriormente à delegacia local.

O suspeito teve a prisão temporária decretada pelo Juízo da 3ª Vara Criminal de Guarujá.

Homem foi levado de São Sebastião para Guarujá (SP) Reprodução Após a prisão, os policiais seguiram em diligências para tentar localizar o veículo utilizado pelo trio e conseguiram localizar o carro em São Sebastião.

Segundo o marido de Virgínia, o carro estava abandonado e foi localizado em uma patrulhamento da Polícia Militar pela Rua Emílio Granato, no bairro Boraceia.

Ele pertence ao terceiro preso.

Após a apreensão, o automóvel foi levado para o pátio da Delegacia Sede de Guarujá, onde tramita o inquérito policial.

"O dono do carro disse na delegacia que não poderia dirigir, motivo pelo qual não estaria na cena do crime.

Um problema na perna era o maior argumento dele", informa Claudio.

Em depoimento, o homem alegou ter sofrido um acidente e possuir lesões na perna esquerda, o que o impossibilitaria de dirigir.

No entanto, Claudio informou que conseguiu um vídeo em que é possível ver o suspeito dirigindo o mesmo carro utilizado no crime, durante um passeio no dia 1º de janeiro.

Ainda em depoimento a polícia, o suspeito justificou que o segundo homem preso teria pego o carro dele emprestado para buscar um medicamento no Morrinhos, em Guarujá, na manhã da data do crime, e só teria devolvido o veículo no final do dia.

Ele e o amigo foram presos juntos por porte ilegal de arma de fogo em 2019.

O suspeito também afirmou que não sabia que o carro tivesse sido utilizado em um latrocínio.