Caso ocorreu no dia 15 de janeiro.

Cetesb também exigiu a produção de relatórios sobre as causas do acidente e medidas de prevenção.

Fumaça química assusta moradores em Cubatão, SP A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) multou a Petrobras em R$ 510 mil por conta do vazamento de produtos químicos de um catalisador da Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), em Cubatão (SP).

O caso ocorreu no dia 15 de janeiro deste ano e foi causado, segundo a Cetesb, por um problema operacional que provocou a emissão de uma grande fumaça amarelada e assustou os moradores. Vazamento de produto químico causa grande fumaça amarelada e assusta moradores em Cubatão De acordo com a Cetesb, a multa de R$ 510 mil foi aplicada na última quinta-feira (13).

O órgão ambiental aponta que, por conta da falha, foram lançadas grandes quantidades de produtos químicos ao meio ambiente, como compostos de enxofre e amônia, dentre outros.

Ainda segundo a Cetesb, o problema operacional aconteceu na unidade de craqueamento catalítico fluído da RPBC.

Na ocasião, equipes do Corpo de Bombeiros e técnicos da Cetesb de Cubatão foram acionados e se dirigiram a refinaria para investigar o que havia ocorrido no local. Nuvem de fumaça preocupa moradores de Cubatão. Israel Santana A companhia explica, ainda, que a Petobras terá que apresentar, em 30 dias, um relatório detalhando as causas que deram origem ao acidente e um plano com cronograma definido para a instalação de sensores para detecção de substâncias odoríferas na atmosfera.

A empresa também terá 45 dias para elaborar outro relatório com avaliação e análise de eventuais paradas emergenciais na RPBC e na unidade de craqueamento catalítico, além de medidas de controle para evitar outros acidentes.

Os documentos deverão ser entregues à Cetesb.

Em nota, a Petrobras disse que recebeu o auto de infração, que encontra-se em avaliação.

Em relação à ocorrência, a Petrobras reafirma que a situação foi prontamente controlada, sem danos às pessoas e às instalações, e as causas seguem em análise. Nuvem de fumaça foi vista por pessoas de toda a região de Cubatão. Reprodução/Cubatão Notícias Relembre o caso O vazamento de um produto químico de um catalisador provocou uma grande fumaça amarela na Refinaria Presidente Bernardes e mobilizou diversos órgãos em Cubatão.

A grande fumaça, que saiu das chaminés da refinaria, assustou os moradores.

A Defesa Civil de Cubatão disse, na ocasião, que ocorreu um vazamento de um catalisador na área da refinaria.

O vazamento foi controlado e não houve reclamações de mau cheiro ou qualquer outro incômodo por parte dos munícipes que entraram em contato. Na ocasião, a Petrobras apontou que a fumaça emitida na unidade foi formada predominantemente por vapor d´água com arraste de catalisador inerte impregnado com hidrocarboneto residual.

A Petrobras disse que o caso não apresentou risco a saúde das pessoas ou danos ao meio ambiente. A ocorrência foi controlada com os recursos próprios da refinaria, sem necessidade de acionamento do Plano de Auxílio Mútuo (PAM), que inclui Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e as outras empresas do Polo Industrial de Cubatão.

A refinaria voltou a operar normalmente. A Petrobras comunicou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Cetesb, sendo que esta última compareceu à refinaria e acompanhou todos os procedimentos que foram adotados.