Proposta é capacitar influenciadores digitais que querem trabalhar com a plataforma de vídeos.

Aulas abordam também legislação, finanças e linguagem corporal.

Campinas (SP) terá a partir deste ano o primeiro curso de graduação para youtuber do Brasil registrado no Ministério da Educação (MEC).

De acordo com a coordenadora do curso na Universidade Paulista (Unip), Roberta Matarazzo, a proposta é suprir a demanda crescente de profissionalização nas plataformas de vídeos das redes sociais.

A universidade capacitará influenciadores digitais para as técnicas de criação, edição e divulgação de materiais audiovisuais para o Youtube.

As aulas começam nesta terça-feira (18) e o curso tem duração de dois anos.

"Dá base para que o trabalho de influenciador seja feito com mais consistência.

É uma profissão que está crescendo muito graças à tecnologia, que permitiu a abertura para novas áreas.

Por isso, estar exposto na mídia também requer embasamentos como a parte de finanças, de imagem, como se portar em vídeo.

Os alunos terão à disposição estúdios e laboratórios, com câmeras, iluminação, tudo", explica.

Laboratório em Campinas (SP) para técnicas de produção de vídeo para a plataforma do YouTube Karoline Porto/G1 Ainda segundo a coordenadora, o curso contará com disciplinas de empreendedorismo digital, ética, legislação, comunicação, marketing pessoal e profissional, linguagem corporal, além apoiar no desenvolvimento e projeção da capacidade financeira de posts na rede social.

"A parte legal é muito importante, porque esses profissionais estão vulneráveis nas redes sociais.

Abordamos a monetização dos posts e a apresentação de forma verdadeira e natural.

Toda essa estrutura é oferecida para que o estudante tenha base de como se expor melhor na plataforma", explica. As aulas são voltadas para pessoas que pretendem começar a trabalhar com a plataforma de vídeos, como também para profissionais que já atuam na área, mas querem se profissionalizar.

A coordenadora explica que as disciplinas práticas abrangem desde o básico de captação de imagens, passando por técnicas de fotografia e iluminação.

"Há pessoas que já têm alguns canais, mas que não têm essa base.

Elas têm interesse em publicar vídeos, mas não sabem quanto cobrar, quanto vale um post de uma publicidade.

Tem muita gente que faz de graça até conseguir a confiança de anunciantes.

Para quem já trabalha com isso, daremos a base para alavancar o canal.

E quem ainda não tem nenhum canal, vamos orientar como começar", diz.

A coordenação informou também que o curso é oferecido em outras unidades da capital e do interior paulista.

As aulas dependem de formação de turma.

Laboratório da universidade em Campinas (SP) onde alunos em formação para Youtuber poderão desenvolver as técnicas.

Karoline Porto/G1 Youtuber diplomado A coordenadora explicou ainda que o curso é no formato tecnólogo e os estudantes que concluírem terão diploma universitário de youtuber.

"Será uma formação como todas as outras, onde a pessoa terá o direito depois de fazer uma especialização ou mestrado.

A gente vai profissionalizar essas pessoas que estão trabalhando hoje individualmente", afirma Roberta.

Foi justamente a qualificação reconhecida em diploma que chamou a atenção de Fernanda Firmino.

A jovem é maquiadora, fotógrafa, modelo e também atua como influenciadora digital.

Atualmente, Fernanda trabalha com a plataforma do Instagram, mas faz planos de dar um passo adiante na carreira e também produzir materiais audiovisuais.

"Tudo o que a gente faz com um diploma dá mais credibilidade no mercado de trabalho.

Quando eu vi que estava aberto o curso, achei muito interessante trazer isso de uma forma mais formal, até pelo fato de conseguir ter uma renda e trabalhar com criação de conteúdo dentro da sua própria casa.

Imagina você ser uma youtuber graduada.

As disciplinas acrescentariam no que eu já faço.

Estudar e praticar faz a gente compreender muito mais, porque está na prática", conta.

Fernanda Firmino, de Campinas (SP), é maquiadora, fotógrafa e influenciadora digital Ninameoficial/Arquivo Pessoal Veja mais notícias da região no G1 Campinas.