Para professor da PUC, redução nas vendas é preocupante uma vez que 'setor tem efeito multiplicador que impacta em outras indústrias da cadeia produtiva'.

Venda de carros novos Fábio Tito/G1 A venda de carros novos em Campinas (SP) teve queda de 27,4% em janeiro, uma redução que, de acordo com o economista Roberto Brito de Carvalho, da PUC-Campinas, está relacionada com a diminuição da confiança do consumidor, que teme o desemprego. Dados da associação das concessionárias, a Fenabrave, mostram que foram emplacados 1.318 veículos no primeiro mês de 2020, contra 1.817 no mesmo período do ano anterior. Segundo Carvalho, tais dados apontam uma ausência de pujança econômica, e preocupam já que o setor automobilístico tem grande impacto na economia brasileira. "É um setor que tem efeito multiplicador na economia muito importante, de valor expressivo, que impacta em várias outras indústrias dentro da cadeia produtiva.

É um sinalizador preocupante", afirma. O professor de economia da PUC ressalta que diante desse cenário de incertezas econômicas, o consumidor adota a cautela, ainda mais em compras de alto valor, sendo que a maioria dos financiamentos são de médio a longo prazo, entre dois e quatro anos. "As condições para compra do veículo novo nem são ruins, as taxas estão relativamente baixas.

Mas há cautela do consumidor, preocupado com a manutenção de seu emprego." Motos De acordo com os dados da Fenabrave, a venda de motos novas também apresentou queda em janeiro deste ano.

Foram vendidas 419, contra 471 no mesmo período do ano anterior. O setor, no entanto, havia fechado 2019 com alta de 24,3% nas cinco maiores cidades da região de Campinas, impulsionado pela alta dos combustíveis e pelo aumento dos serviços de delivery por aplicativos.

Veja mais notícias da região no G1 Campinas