O grupo que veio de Wuhan - epicentro do surto do coronavírus - tem mais dez dias de isolamento previstos.

Primeiro exame descartou contaminação pelo coronavírus, mas novo teste será feito com amostras colhidas na segunda-feira.

Brasileiros repatriados jogaram videogame neste domingo, na Base Aérea de Anápolis Reprodução/Instagram Durante a quarentena na Base Aérea de Anápolis, a 55 km de Goiânia, o grupo que veio de Wuhan, na China, por causa do surto do coronavírus, exercita alguns passatempos e tiveram uma terapia em grupo para ajudar lidar com a ansiedade e para se manter ativo durante o período de isolamento.

Neste domingo (16), depois do culto inter-religioso, eles jogaram videogame e se reuniram em roda para tocar e cantar músicas - saiu até uma canção chinesa. Mestrando e secretário executivo, Alefy Medeiros Rodrigues, de 26 anos, disse que as psicólogas realizaram uma sessão em grupo no sábado (15).

Segundo ele, o encontro foi ótimo para conversar e trocar experiências sobre o isolamento. "Conversamos sobre ansiedade, sobre o que ela é.

Todo mundo conversou bastante", afirmou.

Também de acordo com ele, o apoio psicológico os ajudou a entender e lidar com esse sentimento.

"A gente sabe que a ansiedade é quando a gente para de viver o presente e passa ansiar pelo futuro.

O melhor que a gente pode fazer é ocupar a mente para termos outros sentimentos.

Quanto mais cheio for nosso dia, mais ansioso a gente se sente", disse. Por isso, os repatriados relatam que passatempos e atividades culturais - como apresentações musicais, por exemplo - são tão bem-vindas. "Tem gente caminhando, tem gente correndo, tem gente meditando, tem gente jogando bola, jogando xadrez, também tem o dominó.

A gente está ficando bastante nas áreas em comum, se integrando bastante", descreveu. Repatriados tocaram violão para se distrair neste domingo, na Base Aérea de Anápolis Reprodução/Instagram Atividades Uma das noites do grupo foi em volta do videogame a que eles têm acesso em uma sala comum.

Adultos e crianças entraram na brincadeira e pareceram se divertir em conjunto, revezando os controles. Outra atividade que aparece nas redes sociais dos repatriados é o xadrez chinês.

Algumas imagens já mostraram alguns deles se enfrentando no jogo. Ao falar sobre o ambiente em isolamento, o comandante da Ala 2 da Base Aérea de Anápolis, coronel-aviador Gustavo Pestana, comentou sobre atividades diversas serem importantes no período de quarentena. "Todo o nosso esforço foi para acolhe-los da melhor forma possível, com acesso a internet.

[...] Eles têm seis refeições ao dia, programação cultural, como uma das nossas bandas na Base Aérea.

Algumas atrações que os deixam mais entretidos para ficarem melhor acomodados nesse período", disse. Em isolamento na Base Aérea, repatriados tiveram domingo de lazer para lidar com ansiedade Reprodução/Instagram Essa programação citada pelo comandante tem se mostrado diversa.

Os repatriados já mostraram que houve um grupo com acordeons, outro cantou e tocou hits nacionais e internacionais, além de bandas militares. Na tarde deste domingo, outra surpresa: o quarteto de cordas da Orquestra Filarmônica de Goiás esteve na Base Aérea se apresentando, como também foi registrado pelos repatriados. Imagens mostram os músicos - três violinistas e um violoncelista - de máscaras tocando algumas músicas, entre elas, "Como 3 grande meu amor por você", do cantor Roberto Carlos. Veja outras notícias da região no G1 Goiás. Ciclo do novo coronavírus - transmissão e sintomas Aparecido Gonçalves/Arte G1 Initial plugin text