Em nota, Polícia Federal acrescentou ainda que existência de mensagens 'genéricas' foi informada ao ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito que apura ameaças ao STF.

A Polícia Federal informou nesta segunda-feira (17) que avisou ao Supremo Tribunal Federal (STF) ter encontrado mensagens na internet com ameaças a ministros do tribunal.

Segundo a PF, essas mensagens eram "genéricas" e não apresentaram indícios de que um ataque havia sido planejado. Mais cedo, nesta segunda, o jornal "Folha de S.Paulo" informou que, no comunicado enviado ao tribunal, a PF avisou que os ministros poderiam ser alvos de uma célula terrorista.

Ainda segundo a "Folha", a informação chegou ao ministro Alexandre de Moraes, que o repassou a Dias Toffoli, presidente do Supremo. "Nas últimas semanas, monitoramentos de rotina, realizados pela PF, encontraram trocas de mensagens, via DeepWeb, com ofensas e ameaças a autoridades da República (ministros do Supremo Tribunal Federal).

Tais ameaças eram genéricas e não traziam indícios de qualquer planejamento elaborado de possível atentado", diz um trecho da nota da PF. "Todavia, cumprindo seu papel institucional e de forma preventiva, a PF informou ao ministro Alexandre de Moraes, no âmbito do Inquérito n.º 4781, sobre a existência de tais mensagens", acrescentou a corporação. O inquérito mencionado pela PF foi aberto no ano passado, e Moraes é o relator do caso.

O inquérito apura ofensas e ameaças a ministros do STF. De acordo com a PF, as investigações sobre as mensagens seguem em sigilo e tramitam com o objetivo de identificar os responsáveis pela disseminação do conteúdo.