Autônomo registrou as ameaças na Delegacia de Pedro Toledo, no interior de SP.

Brinquedo quebrou e ficou pendurado em parque de diversões de Peruíbe (SP) Arquivo Pessoal O pai da criança que precisou ser socorrida às pressas em Peruíbe, no litoral de São Paulo, após o brinquedo de um parque de diversões quebrar, relata que foi ameaçado ao denunciar o acidente nas redes sociais.

Em entrevista ao G1, ele afirmou que recebeu a ligação de uma mulher desconhecida, que o xingou e disse que o ‘encontraria em Pedro de Toledo’, cidade onde mora.

O caso ocorreu na noite da última sexta-feira (14).

O pai do menino, o autônomo Guilherme de Castro, de 26 anos, foi com o filho Cauã de Castro ao local e, depois de andar em dois brinquedos, decidiu entrar no trem, que fica há cerca de quatro metros do chão e passa por cima de todo o parque. Após passar na primeira curva, parte do brinquedo despencou e ficou pendurada, presa somente no outro lado do equipamento.

Ele se desesperou e tentou salvar o menino junto com funcionários do parque, que socorreram a criança.

Apesar do susto, a criança não ficou ferida. Com a queda, Guilherme fez um desabafo nas redes sociais e relata que, após a publicação, passou a receber mensagens de uma mulher desconhecida e até mesmo uma ligação de um número restrito.

“No sábado (15), por volta das 18h, uma mulher começou a me mandar mensagem.

Ela falou que eu estava com inveja e algumas besteiras.

Minha mulher disse para não responder”, afirma.

A mulher chegou a chamá-lo de oportunista e dizer que ele queria dinheiro.

Pouco depois das mensagens, ele recebeu a ligação de um número desconhecido, em que uma mulher começou a xingá-lo.

“Ela me perguntou se eu morava em Pedro de Toledo e que me encontraria na cidade”, afirma.

Diante da situação, o homem ficou com medo e decidiu registrar um boletim de ocorrência de ameaça na Delegacia Sede de Pedro de Toledo.

No registro, a autoria não foi designada a ninguém, já que a Polícia Civil investigará o caso.

“Eu fiquei com medo.

Vai saber o que pode acontecer.

Se alguém quiser pular aqui em casa, pode conseguir”, afirma. O G1 entrou em contato com o dono do parque, que preferiu não se identificar, e esclareceu que em momento algum fez ameaças ao pai da criança.

“Com certeza, essas ameaças não são de quem trabalha aqui.

Pode ser de alguma pessoa que não gosta dele, mas não é ninguém do parque”, finaliza.

Entenda o caso O acidente ocorreu na noite de sábado (14), quando a criança estava em um trem, que fica há cerca de quatro metros do chão e passa por cima de todo o parque.

Logo após a primeira curva, um pedaço do brinquedo despencou e ficou pendurado, preso somente no outro lado do equipamento.

Funcionários do local socorreram a criança às pressas e a entregaram ao pai, sem nenhum ferimento.

De acordo com o autônomo, depois de socorrer Cauã, os funcionários amarraram o brinquedo com uma corda.

Ele conversou com os proprietários do local, reclamando da situação, mas afirma que não teve o suporte necessário.

Após o ocorrido, ele registrou um boletim de ocorrência sobre o caso na Delegacia de Peruíbe. A reportagem conversou com o responsável pelo parque de diversões, que informou que o brinquedo estava em manutenção e, conforme explica, um dos funcionários iria buscar as rodas e outro teria ligado o equipamento, sem saber que não poderia.

O responsável lamentou o caso e disse que deu todo o suporte necessário à família no momento que o brinquedo quebrou.

Ele ainda explica que o trem vai passar por manutenção. Em nota, a Prefeitura de Peruíbe informa que os órgãos responsáveis pela fiscalização estiveram no local e a Vigilância Sanitária do Município interditará o brinquedo onde ocorreu o acidente.

Ainda segundo a prefeitura, todas as medidas necessárias que cabem à Administração Municipal serão tomadas. Funcionários ajudaram no resgate da criança em parque de Peruíbe, SP Arquivo Pessoal