Segundo o MP, foi detectada a emissão de Gases Não Condensáveis por mais de sete horas.

De acordo com a empresa, houve uma falha no sistema.

Emissão de gases que causaram mau cheiro no Vale do Aço foi provocada pela Cenibra, diz MP Patrícia Belo / G1 O Ministério Público (MP) divulgou uma nota nesta terça-feira (18), responsabilizando a Cenibra pela emissão de gases que causaram mau cheiro no Vale do Aço na madrugada de quarta-feira (12).

Segundo o órgão, “foi detectada a emissão de gases mercaptanas (GNC – Gases Não Condensáveis) pela empresa Cenibra, por um tempo maior que o usual, no dia 11 de fevereiro de 2020, no período de 16h às 23h30”. Ainda de acordo com o MP, a empresa informou que houve uma falha no sistema o que causou a emissão dos gases por um tempo maior que o usual. “O evento detectado pela empresa, combinado com as condições meteorológicas de predomínio de vento nordeste, direção Governador Valadares-Ipatinga, é compatível com a ocorrência de odores desagradáveis registrada na noite de 11 de fevereiro de 2020”, disse a nota. O parecer do Ministério Público ainda esclarece que “a exposição não prolongada a baixas concentrações de gases mercaptanas não tende a causar consequências graves à saúde”. O órgão disse que buscará uma compensação junto à empresa devido ao incômodo causado pelo odor.

“A empresa Cenibra informou ao Ministério Público que tem interesse em firmar acordo prevendo termos para o monitoramento de gases oriundos do seu processo produtivo, bem como compensação pela ocorrência”, finalizou. Em nota, a Cenibra informou que ao detectar a falha ocorrida no processo produtivo, procurou as autoridades para prestar esclarecimentos.

Disse também que está aberta ao diálogo em respeito ao público.

Veja mais notícias da região em G1 Vales de Minas Gerais.