Dados do Infosiga mostram que nove pedestres morreram, o que representa meta dos óbitos no primeiro mês de 2020.

Em 66,6% dos casos, acidentes ocorreram em vias municipais.

As mortes de pedestres no trânsito de Campinas (SP) triplicaram em janeiro, na comparação com o mesmo período do ano passado.

O total de ocorrências representa metade dos 18 óbitos registrados no mês pelo Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP), o maior desde o início da série histórica, em 2015. De acordo com o levantamento divulgado nesta quarta-feira (19), nas nove mortes de pedestres em janeiro, em quatro ocorrências o veículo envolvido no acidente era o automóvel.

Ocorrências envolvendo ônibus (2) e motocicleta (2) provocaram mais quatro óbitos, enquanto em um dos casos a informação não estava disponível. A maior parte dos atropelamentos ocorreu um vias municipais (55,56%), e em dois terços das ocorrências as vítimas chegaram a ser socorridas com vida, mas morreram no hospital. Os dados do Infosiga mostram que cinco mortes de pedestres ocorreram no período da noite, entre 18h e meia-noite; três ocorrências na parte da manhã (6h às 12h); e em um dos casos não há a informação do horário do acidente.

Recorde em janeiro Com as nove mortes de pedestres, Campinas contabilizou 18 óbitos no trânsito no período, o maior para janeiro desde que o Infosiga contabiliza os dados, desde 2015. Os acidentes envolvendo motociclistas provocaram outras seis mortes, enquanto ocorrências em que as vítimas estavam em bicicleta (1), caminhão (1) e automóvel (1) mataram mais três pessoas. No geral, 66,67% das mortes no trânsito ocorreram em vias municipais, e 33,33% em rodovias que cortam a cidade de Campinas. Avaliação O secretário municipal de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, disse que os números de mortes no trânsito em janeiro ainda estão sendo analisados pela pasta, responsável pelo gerenciamento das vias municipais. "A gente sempre tem muitas análises para verificar.

Ocorreram alguns acidentes estranhos em janeiro, que nós estamos querendo entender porque ocorreram aqueles acidentes, mas na nossa visão é uma coisa assim muito pontual." De acordo com Barreiro, até o momento fevereiro não registrou acidentes como o primeiro mês do ano.

"Então você vê que é uma situação bastante pontual e que pela nossa engenharia nós vamos avaliar e se tiver alguma ação, faremos", disse. Veja mais notícias da região no G1 Campinas