Anúncio foi feito no hospital regional da cidade durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (19).

Não há surto, diz secretário de Saúde do município.

Pacientes estão internados no Hospital Regional de Vilhena. Rogério Perucci/Arquivo/G1 Mais dois casos de meningite foram confirmados em Vilhena (RO), na região do Cone Sul.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (19) durante uma coletiva de imprensa no hospital regional da cidade com a direção e o secretário de Saúde do município, Afonso Emerick.

Com os dois, sobe para três o número de casos confirmados na região.

Conforme o secretário, apesar das confirmações, não há surto da doença.

"Até o momento, nós temos três casos confirmados.

Um com suspeita que possa ser bacteriana e os outros dois viral", detalhou Emerick.

No início desta semana, uma coletiva já havia sido realizada para confirmar o primeiro caso de meningite, que é em uma criança indígena da Zona Rural de Vilhena, de 4 anos.

Ele mora em uma aldeia que fica a 23 quilômetros da região central da cidade.

Os novos pacientes são duas crianças, sendo uma de 10 e a outra de 12 anos. Mais 2 casos de meningite são confirmados em Vilhena Um quarto caso está sob investigação.

É de uma idosa de 63 anos, que mora em Cerejeiras (RO) e está sob observação médica no hospital regional.

O secretário Afonso Emerick informou que a unidade de saúde tem se preparado para receber esses pacientes.

"Por questões sanitárias, nós decidimos colocar uma ala específica e também para que a equipe tenha um cuidado mais próximo desse paciente para que o resultado desse tratamento seja de melhor qualidade", explicou.

"Se for bacteriana, depois de 24 horas de tratamento já não tem mais possibilidade de estar transmitindo", disse o médico André Oliveira.

O que é a meningite? A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal.

Essa inflamação pode ser causada por micro-organismos (vírus e bactérias), alergias a medicamentos e outros agentes. A meningite é considerada uma doença endêmica e casos são registrados ao longo de todo o ano.

Os mais preocupantes são os de meningite bacteriana por costumarem ser mais graves.

Segundo informações do Ministério da Saúde, a meningite pode atingir todas as faixas etárias, mas o maior risco é para crianças menores de cinco anos, em especial as menores de um. Em casos graves, o tratamento é feito com antibiótico durante 7 dias.

Depois de 24 horas, o paciente não transmite mais a doença e pode sair do isolamento. Bacteriana A meningite bacteriana é uma infecção que provoca a inflamação do tecido que envolve o cérebro e a medula, causada por uma bactéria.

Geralmente, este tipo de meningite é grave que pode colocar em risco a vida da pessoa, caso não seja tratada adequadamente. Apesar disso, a meningite bacteriana tem cura, mas a pessoa deve ser levada para o hospital assim que os primeiros sintomas apareçam para receber o tratamento adequado.

O contágio da meningite bacteriana acontece através do contato com gotículas de saliva do indivíduo. Viral A meningite viral costuma ser caracterizada por um quadro benigno, isto é, menos grave e geralmente sem sequelas.

Os sintomas assemelham-se aos de viroses comuns como febre, diarreia, dor de cabeça, além de rigidez na nuca. Por ser uma doença de transmissão respiratória, alguns cuidados podem ser tomados para evitar a doença: lave as mãos frequentemente; não compartilhe objetos pessoais; use álcool 70%; não frequente locais com aglomero de pessoas; deixe os ambientes sempre arejados e mantenha as carteiras de vacinação em dia. Meningite meningocócica Infografia: Igor Estrella/G1