Falta de servidores afetava atendimentos e poderia resultar no fechamento de leitos na unidade.

Baixa no número se deu após desligamentos sem reposição de vagas.

Hospital das Clínicas no campus da USP em Ribeirão Preto Luciano Tolentino/EPTV O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (21) a contratação de 350 profissionais para o Hospital das Clínicas (HC) em Ribeirão Preto (SP).

O déficit de funcionários na unidade, principalmente enfermeiros e anestesiologistas, resultou em impactos nos atendimentos e poderia levar ao fechamento de leitos, conforme apurado pela EPTV, afiliada da Rede Globo. Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que a reposição começará em março, com aproveitamento de remanescentes de concursos públicos.

Caso haja necessidade, serão abertos novos processos para o preenchimento dos cargos. Nesta sexta-feira, o superintendente do Hospital das Clínicas, Benedito Carlos Maciel, participou de uma reunião com o vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia (DEM), em São Paulo (SP), para discutir a autorização das contratações. Impacto no atendimento Em entrevista à EPTV na segunda-feira (17), o médico especialista em saúde pública José Sebastião dos Santos, que atua no HC, disse que os profissionais têm perdido a capacidade operacional devido à falta de reposição de cargos.

“Não podemos fazer as operações, porque eu não tenho enfermagem para cuidar dos doentes no pré e no pós-operatório.

Também não temos anestesiologistas para fazer a anestesia.

Estamos produzindo pouco, porque é uma destruição da nossa cadeia de produção assistencial e também de formação de recursos humanos”, afirmou. Em 2019, o HC realizou 11.168 cirurgias, uma redução de 9% em relação à média apresentada em quatro anos anteriores, que foi de 12.279.

A diminuição se deve também ao fechamento de quatro salas.

Segundo a instituição, o número não leva em conta os procedimentos ambulatoriais, que não envolvem a participação de médicos anestesiologistas.

Fontes ouvidas pela EPTV informaram redução de 25% no total de cirurgias e fechamento de nove centros cirúrgicos no ano passado.

Anualmente, a instituição treina 4,6 mil profissionais, absorvidos pelo mercado de trabalho.

A atividade faz parte da operação, já que o hospital universitário é formador de recursos humanos.

De acordo com o HC, os desligamentos são parte natural do processo.

Entretanto, o hospital admite que há lentidão na reposição das vagas.