Foram confirmadas mortes em Extrema, Bueno Brandão e Toledo; outros 308 casos positivos já foram confirmados.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) confirmou mais três mortes pela Covid-19 no Sul de Minas em novo boletim divulgado na manhã desta quinta-feira (7).

Além disso, também foram confirmados outros 16 casos positivos.

Com isso, a região tem oficialmente agora 17 mortes e outros 308 casos confirmados da doença.

Entraram para o boletim nesta quinta-feira a 3ª morte em Extrema e a 1ª em Bueno Brandão, que já tinham sido divulgados pelas prefeituras locais.

Também foi confirmada a 1ª morte em Toledo, de uma mulher de 83 anos, com comorbidades, que morreu na terça-feira (5).

Também entraram no boletim mais casos positivos confirmados em Pouso Alegre (4), Senador José Bento (2), Alfenas (1), Boa Esperança (1), Bom Repouso (1) e Muzambinho (1).

Também foram registrados os primeiros casos positivos em Alpinópolis, Brazópolis, Elói Mendes, Ilicínea, Itaú de Minas e Lambari.

Ainda há casos já divulgados por prefeituras que ainda não entraram no balanço oficial do Estado.

Com as novas confirmações, Pouso Alegre lidera a lista com mais casos no Sul de Minas: 47 positivos e três mortes.

Extrema aparece, conforme os números da SES-MG, com 38 positivos e três mortes.

Poços de Caldas tem 24 registros, sendo duas mortes e Varginha tem 21 registros, sendo uma morte.

Estudo mostra aumento expressivo de internações por síndromes respiratórias e indica subnotificação da Covid-19 Ao todo, Minas Gerais tem 2.770 casos confirmados de coronavírus, sendo 106 mortes por Covid-19.

A Secretaria de Estado não divulga estatística de pessoas curadas da doença.

Levantamento feito pelo G1 com base em boletins divulgados por prefeituras aponta que o Sul de Minas já tem pelo menos 126 pessoas recuperadas da doença. Casos confirmados de Covid-19 no Sul de Minas Divergência de números Os número de casos suspeitos e confirmados divulgados pela SES-MG têm sido diferentes dos que estão sendo anunciados diariamente em boletins de prefeituras.

Sobre isso, a secretaria informou que assim que o caso suspeito é identificado pelo serviço de saúde, é realizada uma triagem com este paciente de acordo com dados clínicos e epidemiológicos, auxiliando na tomada de conduta de interação ou isolamento domiciliar.

O profissional de saúde entra em contato com o CIEVS-Minas ou Unidade Regional de Saúde para discussão do caso. Definido como caso suspeito, o município preenche um formulário com os dados do paciente denominado RedCap, específico do Ministério da Saúde.

Através deste formulário é gerado todo o banco de dados do Coronavírus no Estado. O COES Coronavírus analisa esse banco de dados diariamente, reclassifica os casos, solicita novas informações ao município e faz o cruzamento dos resultados de exames laboratoriais.

Após todo esse trabalho, que é realizado até as 13h do dia corrente, é que os dados estarão tratados para fazerem parte do Boletim Diário.

Dessa forma, é necessário percorrer todo este fluxo de notificação para que os casos sejam incluídos no boletim epidemiológico divulgado pela SES-MG e, por esta razão, divergências pontuais entre os municípios e os casos já computados pela SES-MG, podem ocorrer, tanto em relação a casos suspeitos quanto a casos confirmados. Dicas de prevenção contra o coronavírus Arte/G1 Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas