Análise feita pelo G1, com base nos boletins diários do Executivo, aponta ainda crescimento de notificações e suspeitas descartadas na cidade.

A reportagem conversou com a Prefeitura e a CDL sobre os números.

Casos confirmados de coronavírus cresceram mais de 38% na cidade em dez dias Anna Lúcia Silva/G1 Divinópolis registrou um aumento de 38,2% no número de casos confirmados da Covid-19 desde que a Prefeitura autorizou a retomada de parte do comércio e serviços, a partir do dia 27 de abril.

Desde então, o G1 fez um levantamento dos dados sobre a doença na cidade até esta quinta-feira (7).

A análise foi feita com base nos boletins diários sobre o coronavírus que são divulgados, diariamente, pelo Executivo.

Os informes mostram dados como casos confirmados, descartados, total de notificações, dados sobre pacientes, faixa etária das notificações e taxa de ocupação de leitos das Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e em hospitais particulares. No dia 1º de maio, o G1 solicitou o número de pacientes curados da Covid-19 para a Prefeitura, mas a assessoria de comunicação do Executivo respondeu não ter este dado.

Divinópolis tem uma morte confirmada por coronavírus e um outro óbito em investigação, de um homem de 43 anos que morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto na terça-feira (5). O G1 conversou com a Prefeitura e o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Luiz Ângelo.

Dados analisados No dia 27 de abril, Divinópolis registrava 81 casos confirmados de coronavírus.

Nesta quinta, o número subiu para 112, são 31 resultados positivos a mais no período de dez dias.

Os registros de notificações também cresceram no mesmo período: eram 1.391 na data de abril e 1.590 no informe desta tarde; um aumento de 14,3%. Paralelamente, a quantidade de casos descartados cresceu 35%, passando de 117 no dia 27 de abril para 158 até esta quinta.

Confira as comparações nos gráficos abaixo. O que diz a Prefeitura Sobre a análise feita pela reportagem, o diretor de Comunicação da Prefeitura, Evandro Araújo, explicou que o decreto que flexibiliza a abertura do comércio tem um ponto de segurança.

“Caso a ocupação dos leitos de UTI chegue aos 70% de internações em geral, não apenas de coronavírus, automaticamente o comércio terá que fechar novamente”, afirmou. Evandro ressaltou ainda que os dados são analisados diariamente por técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e pelo Comitê de Enfrentamento Municipal da doença.

“Qualquer elevação nos percentuais é um motivo de preocupação.

Mas seguimos acompanhando e contamos com a participação de diversas argumentações da saúde pública, particular e a sociedade organizada, que conta com a participação de representantes do comércio e indústria”, finalizou. A diretora da Vigilância em Saúde, Janice Soares, enfatizou que os dados e pacientes da Covid-19 são acompanhados pelo Comitê.

"O grupo se reuniu esta semana e provavelmente se reunirão na próxima.

Faremos um balanço geral ao término da semana epidemiológica 19, que se encerra neste sábado (9)", contou.

O que diz a CDL O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas, Luiz Ângelo, disse que o órgão fez um levantamento sobre os casos e notificações da doença na cidade, entre o dia 1º de abril e 5 de maio, com dados fornecidos regularmente pela Prefeitura. "Nas análises que fizemos, podemos constatar que os dados não apontam para uma tendência de crescimento de contaminação da população após a abertura parcial do comércio em Divinópolis.

Ao contrário, os gráficos mostram que entre os dias 23 e 24 de abril atingimos um pico, e a curva passou a ser claramente descendente a partir do dia 25 de abril, mantendo-se abaixo dos valores pregressos", afirmou.

Luiz ressaltou ainda que desde a reabertura do comércio, não houve aumento na taxa de ocupação dos leitos e também no número de notificações e confirmações.

"Neste momento, não há nenhum impacto em Divinópolis em relação a abertura do comércio.

Claro que se trata de algo recente para avaliar, até mesmo pelo período de incubação do vírus.

De toda forma, os dados estatísticos que temos acompanhado, inclusive junto à Secretaria, mostra que não houve nenhuma alteração da contaminação após a reabertura do comércio.

Nosso comércio está seguindo o decreto, as normativas de segurança, e a gente tem convicção que não terá nenhuma alteração no processo de contaminação nessa pandemia devido à reabertura do comércio", finalizou. Situação da Covid-19 em Divinópolis De acordo com o Boletim Diário da Prefeitura desta quinta-feira (7), Divinópolis tem 112 casos confirmados de coronavírus 158 descartados e 1.590 notificações.

Na quarta (6), a taxa de ocupação dos leitos de UTIs, entre particulares e do Sistema Único de Saúde (SUS), chegou a 51%.

Entretanto, ainda nesta quinta, a taxa de ocupação do SUS caiu para 48%.

A maior parte das notificações de casos suspeitos na cidade segue sendo em pessoas com idade entre 20 e 39 anos: 726 registros.

Reabertura do comércio No dia 22 de abril a Prefeitura anunciou que serviços e parte do comércio voltariam a funcionar partir de 27 de abril.

Já no dia 24, o Executivo apresentou a proposta de retomada das atividades.

O documento regulamentava os horários e dias de funcionamento do comércio e definia as medidas básicas de segurança e higiene para a atividade empresarial, comercial, industrial, prestação de serviços e outras atividades na cidade. Na ocasião, a Administração enfatizou que, caso a população insistisse em descumprir o decreto ou a situação dos casos mudasse na cidade, a decisão seria reavaliada.

Uma equipe do comitê acompanha a evolução dos números e a taxa de ocupação dos leitos, além de manter a fiscalização rigorosa do cumprimento das medidas estabelecidas no decreto.

A fiscalização sobre os cumprimentos das medidas está sob responsabilidade do Município, além de observar os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde sobre a segurança sanitária, a assistência adequada à população e sempre informar o número de leitos disponíveis nos hospitais de referência.