Funcionários fizeram carreata com 26 veículos até a Câmara durante esta terça-feira (12).

Empresa alega queda de 81% em receitas com baixa na movimentação de passageiros na pandemia da Covid-19.

Os motoristas do transporte coletivo de Franca (SP) fizeram uma carreata pelas ruas da cidade nesta terça-feira (12) em protesto contra demissões e atrasos nos salários. Os funcionários saíram do terminal Ayrton Senna em direção à Câmara Municipal com 26 veículos da frota que estão parados desde que a circulação foi reduzida em função da pandemia do novo coronavírus. De acordo com o presidente do sindicato dos motoristas, Geraldo Xavier, a empresa São José demitiu 51 funcionários e ainda não pagou os salários referentes a abril dos demais empregados. Motoristas de ônibus protestam contra demissões e salários atrasados em Franca, SP Reprodução/EPTV Procurado pela EPTV, afiliada da TV Globo, Paulo Barddal, porta-voz da São José, alegou dificuldades financeiras com baixa de 81% nas receitas devido à queda na movimentação de pessoas por conta da Covid-19.

A empresa hoje opera com 40% da frota e transporta 11 mil passageiros por dia, diante de 58 mil transportados antes da pandemia. Barddal argumentou ainda que, mesmo assim, conseguiu manter o quadro de funcionários intacto por dois meses e que solicitou auxílio financeiro à Prefeitura, mas não obteve resposta.

Segundo ele, caso a situação não seja revertida os salários referentes a maio também não devem ser pagos. No transporte público de Ribeirão Preto (SP), também houve impasse entre empresas que prestam o serviço e os motoristas, que chegaram a paralisar parte das linhas na segunda-feira (11) pela falta de pagamento do salário de abril, que deveria ter sido pago até 7 de maio.

A categoria voltou ao trabalho nesta terça-feira (12) sob a promessa de pagamento da remuneração. Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca